FRED CAMINHA E SAMUCA SANTOS – FRENTE A FRENTE

 Postado por DCP em 31/10/2021

Apresentação e seleção dos poemas por Valmir Jordão¹








Fred Caminha & Samuca Santos – Frente a Frente no DCP
Arte: DCP








Fred Caminha faz parte da Geração 80 da Poesia Recifense, ele fez medicina, mas não chegou a clinicar, conviveu com Erickson Luna, Francisco Espinhara, Jorge Lopes, Chicão, Samuca Santos, Hector Pellizzi, Zizo e com a maioria dos poetas do Balaio de Gato, fanzine que teve mais de uma dezena de edições entre meados de 80 e anos 2000. Participou do Movimento dos Escritores Independentes - MEI-PE e da efervescência cultural dos saraus nas ruas, bares, praças, sindicatos e periferias da Veneza pernambacana. E foi um grande divulgador do seu trabalho nas diversas localidades da cidade. A sua poética é uma denúncia em defesa dos menores abandonados nas ruas e outras nuances da urbanidade.

 

Samuca Santos é poeta, radialista e performer, participou e fundou o  Bandavuô, Movimento dos Escritores Independentes,  Balaio de Gato (fanzine), fez apresentações com vários músicos da sua geração, entre eles; Nado Nego Preto e Evandro Negro Bento. Publicou vários livros de pequeno porte e graficamente de bom gosto. A sua poesia é elegante, mas, a lírica é radicalmente social e existencial. E fala sobre a dificuldade de ser negro, desempregado e viver de aluguel em Peixinhos, um bairro do subúrbio entre o  Recife e Olinda. Um Blackbird recifense e periférico.





FRED CAMINHA & SAMUCA SANTOS – FRENTE A FRENTE





Boa Vista

Fred Caminha

 

O que mais dizer

sobre as casas da Boa Vista,

se a boa vista

não sensibiliza as más vistas?

Quantos insensíveis!!!

ao ar e arte das fachadas,

tornando-as invisíveis,

malfadadas

ao lodo, toldos, placas...

que cortam feito faca

cega que nega

a Boa Vista dos que vêem,

lêem e avistam

suas paredes bordadas,

frutos de mãos fadas

de escravos-operários-artistas.

 

 

Re. visão

Samuca Santos

 

Nada de pena

De sísifo

E sua pedra

Ladeira acima

Do alto

.Vê-la rolando

Ladeira abaixo

É seu aprendizado

: todo dia nasce

Um novo dia

E  a vida

Não é só mitologia

 

 

Crônica de uma cidade louca

Fred Caminha

 

Hoje, qualquer dia, na Conde da Boa Vista

o sinal se abre aos choros e risos:

a prazo e à vista

no asfalto tomado de assalto.

Há coca, há cola e Coca-Cola,

no adulto, na criança, na sacola...

O suicida dá o salto para o alto

e para baixo, na noite cheia

de luzes, alegrias e cruzes...

Rola fumo nos ares.

Rola álcool nos bares.

Hoje é qualquer dia,

na Conde da Boa Vista!

Nessa imensa larga pista

sou, a mais, um artista!

 

 

Insone, pra alberto

Samuca Santos

 

A amiga mostrou o sofá

E sobre ele

Travesseiro lençóis

Perfumados de carinho

E prontos

Pra noite de sono

Quiçá de sonhos

Bons

Mas da estante

O poeta

(e sua oração pelo poema)

Me fez sorrir

Aos pássaros da alvorada

Entoando carpe diem

 

 

Rap do menor

Fred Caminha

 

Sem cama nem mama

escola ou Coca-Cola

bota mola

cheira cola...

o menor de pouca idade

no centro da cidade.

O humano foi à lua

mas ainda hoje vejo

crianças comendo lixo na rua.

O humano foi à lua

mas ainda hoje vejo

polícia matar meninos de rua.

 

 

Ars poética

Samuca Santos

 

A ideia está no ar

Pegue-a

Usando a suave firmeza

Com que se aperta

A mão do amigo

:quente

Nem morno nem brasa

A mão que acalma o filho

Molda-se na argila

E faz versos pra amada

Pegue

Areia pra fazer cristal

Farinha pra bolo de feijão

Matéria espiritual

Carinho zelo tesão

Agora solte o poema 




...................

¹Valmir Jordão é poeta, compositor e performer



FRED CAMINHA E SAMUCA SANTOS – FRENTE A FRENTE FRED CAMINHA E SAMUCA SANTOS – FRENTE A FRENTE Reviewed by Natanael Lima Jr on 00:02 Rating: 5

Um comentário

  1. Aplausos e reverência aos dois Grandes Poetas: Samuca Santos e FRed Caminha! Grata ao amigo e Poeta Vamir Jordão pela seleção dos poemas e ao nosso DCP - sob a batuta do Amigo e Poeta Natanael Lima! Uma ótima tarde!

    ResponderExcluir

Recent in Recipes

3/Food/post-list