SOBRE A POESIA




Foto: Reprodução



“Parece que a poesia tem inteiramente a sua origem em duas causas, ambas naturais. Porque a imitação é natural ao homem desde a infância, e nisto difere dos outros animais, pois que ele é o mais imitador de todos, aprende as primeiras coisas por meio da imitação, e todos se deleitam com as imitações. É prova disto o que acontece a respeito dos artífices, porque nós contemplamos com prazer as imagens mais exatas daqueles mesmos objetos para que olhamos com repugnância; por exemplo, a representação de animais ferocíssimos e de cadáveres. E a razão disto é porque o aprender é coisa que muito apraz não só aos filósofos, mas também igualmente aos demais homens, posto que estes sejam menos instruídos. Por isso se alegram de ver as imagens, pois que, olhando para elas, podem aprender e discorrer o que uma delas é e dizer, por exemplo: isto é tal; porque, se suceder que alguém não tenha visto o original, não recebe então prazer da imitação, mas ou da beleza da obra, ou das cores, ou de outro algum motivo semelhante. Sendo, pois, própria da nossa natureza a imitação, também o é a harmonia e o ritmo (porque é claro que os metros são parte do ritmo). Os que ao princípio se sentiram com maior inclinação natural para estas coisas, adiantando-se pouco a pouco, deram origem à poesia com obras feitas de improviso. Ora a poesia tomou diversas formas, segundo o diferente natural de cada um; porque os homens que tinham mais gravidade e elevação imitavam as ações boas e a fortuna dos bons; e os que eram de gênio humilde imitavam as ações dos maus, escrevendo ao principio vitupérios, assim como os outros compunham hinos e louvores". 
(Aristóteles, in ‘Poética’)

“A dialogação com a poesia, para Heidegger, consiste na doação da linguagem aos outros, que preserva a palavra e sua abertura. Essa dialogação se estabelece entre o pensador que lê e a poesia que a ele se doa na leitura. Aproveitando a dádiva, Heidegger utiliza-a quer no papel de tradutor quer no papel de escritor-poeta”. 

“[...] A poesia desentranha o fora para moldar o dentro. É como a cópula ou o inocular na veia um veneno (ou na veia do veneno a vida). Visa ao rapto do sono da usura (das palavras) para extrair o pesadelo do tributo devido à página (parceira em ato de potencializar o objeto da poesia, o poema). A mais valia é da imaginação feto e fruto".  

“Mas o que vou dizer da Poesia? O que vou dizer destas nuvens, deste céu? Olhar, olhar, olhá-las, olhá-lo, e nada mais. Compreenderás que um poeta não pode dizer nada da Poesia. Isso fica para os críticos e professores. Mas nem tu, nem eu, nem poeta algum sabemos o que é a Poesia”.
(Federico García Lorca) 

"Tudo de que fruo do mundo é o de que a poesia se apropria (de sua ração de espírito), mesmo contra o homem, se este – em particular, ainda não deu o salto (dialético) do estágio hominídeo para o sapiens, eticamente alto, humanamente pleno. [...]”
(Vital Corrêa de Araújo, in ‘A palavra que quer(em) calar’ 

“A poesia é das raras atividades humanas que, no tempo atual, tentam salvar uma certa espiritualidade. A poesia não é uma espécie de religião, mas não há poeta, crente ou descrente, que não escreva para a salvação da sua alma – quer essa alma se chame amor, liberdade, dignidade ou beleza.”  
(Sophia de Mello Breyner Andresen)

"A Poesia é a arte que coordena as ideias e as palavras de modo a expressar o pensar e o sentir de forma bela. Fala ao coração. É o belo em forma de Linguagem. Mas a divisão da sociedade em classes, a violência gerada pela exploração da minoria opressora, violam também a arte em todas as suas formas. Em vez de terna, a poesia se torna dura, embora não deixe de ser bela. É que o poeta tem apenas duas mãos e o sentimento do mundo
(Carlos Drummond de Andrade)

“Entendo que poesia é negócio de grande responsabilidade, e não considero honesto rotular-se de poeta quem apenas verseje por dor de cotovelo, falta de dinheiro ou momentânea tomada de contato com as forças líricas do mundo, sem se entregar aos trabalhos cotidianos e secretos da técnica, da leitura, da contemplação e mesmo da ação. Até os poetas se armam, e um poeta desarmado é, mesmo, um ser à mercê de inspirações fáceis, dócil às modas e compromissos.” 
(Carlos Drummond de Andrade)

"A poesia não é um mal à moral e ao conhecimento, como sentenciou Platão, pois que, justamente por não se deixar fixar num modelo eterno e imutável, como o faz a remota ideia - sinal de conservadorismo e de enrijecimento político -, promove, antes, o movimento e a fluidez das formas, sendo assim mais adequada à percepção de que o mundo se altera e que isso, no final das contas, é bom".
(Roberto Sarmento Lima)

“Pretendo que a poesia tenha a virtude de, em meio ao sofrimento e ao desamparo, acender uma luz qualquer, uma luz que não nos é dada, que não desce dos céus, mas que nasce das mãos e do espírito dos homens. Pois a poesia é isso. É a verdade absoluta em cada um de nós.” 
(Ferreira Gullar)

“O poema é um exercício de dissidência, uma profissão de incredulidade na omnipotência do visível, do estável, do apreendido. O poema é uma forma de apostasia. Não há poema verdadeiro que não torne o sujeito um foragido. O poema obriga a pernoitar na solidão dos bosques, em campos nevados, por orlas intactas. Que outra verdade existe no mundo para lá daquela que não pertence a este mundo? O poema não busca o inexprimível: não há piedoso que, na agitação da sua piedade, não o procure. O poema devolve o inexprimível. O poema não alcança aquela pureza que fascina o mundo. O poema abraça precisamente aquela impureza que o mundo repudia.”
(José Tolentino Mendonça)

“Todas as coisas têm o seu mistério, e a poesia é o mistério de todas as coisas”. 
(Federico Garcia Lorca)

“Um grão de poesia é suficiente para perfumar um século inteiro.” 
(José Martí)

“Poesia é voar fora da asa.” 
(Manoel de Barros)

“A poesia não se entrega a quem a define.”
(Mário Quintana)

“O poema essa estranha máscara mais verdadeira do que a própria face”.
(Mário Quintana)

Poesia é matéria fluídica, gérmen de todas as artes, sêmen de um astro que se recusa a ser subterrâneo.  
(Natanael Lima Jr.)

“E a poesia sempre é melhor do que nós, ou mesmo maior, já que ela é círculo de girassol e de aventura.”
(Diego Mendes Sousa)




SOBRE A POESIA SOBRE A POESIA Reviewed by Natanael Lima Jr on 16:57 Rating: 5

Nenhum comentário