SOBRE A POESIA




Foto: Reprodução



“Parece que a poesia tem inteiramente a sua origem em duas causas, ambas naturais. Porque a imitação é natural ao homem desde a infância, e nisto difere dos outros animais, pois que ele é o mais imitador de todos, aprende as primeiras coisas por meio da imitação, e todos se deleitam com as imitações. É prova disto o que acontece a respeito dos artífices, porque nós contemplamos com prazer as imagens mais exatas daqueles mesmos objetos para que olhamos com repugnância; por exemplo, a representação de animais ferocíssimos e de cadáveres. E a razão disto é porque o aprender é coisa que muito apraz não só aos filósofos, mas também igualmente aos demais homens, posto que estes sejam menos instruídos. Por isso se alegram de ver as imagens, pois que, olhando para elas, podem aprender e discorrer o que uma delas é e dizer, por exemplo: isto é tal; porque, se suceder que alguém não tenha visto o original, não recebe então prazer da imitação, mas ou da beleza da obra, ou das cores, ou de outro algum motivo semelhante. Sendo, pois, própria da nossa natureza a imitação, também o é a harmonia e o ritmo (porque é claro que os metros são parte do ritmo). Os que ao princípio se sentiram com maior inclinação natural para estas coisas, adiantando-se pouco a pouco, deram origem à poesia com obras feitas de improviso. Ora a poesia tomou diversas formas, segundo o diferente natural de cada um; porque os homens que tinham mais gravidade e elevação imitavam as ações boas e a fortuna dos bons; e os que eram de gênio humilde imitavam as ações dos maus, escrevendo ao principio vitupérios, assim como os outros compunham hinos e louvores". 
(Aristóteles, in ‘Poética’)

“Mas o que vou dizer da Poesia? O que vou dizer destas nuvens, deste céu? Olhar, olhar, olhá-las, olhá-lo, e nada mais. Compreenderás que um poeta não pode dizer nada da Poesia. Isso fica para os críticos e professores. Mas nem tu, nem eu, nem poeta algum sabemos o que é a Poesia”.
(Federico García Lorca)

“Todas as coisas têm o seu mistério, e a poesia é o mistério de todas as coisas”.
(Federico Garcia Lorca)

"Poesia é a arte de excitar a alma".
(Friedrich von Hardenberg)

"Toda verdadeira poesia é uma visão de mundo".
(Thomas Stearns Eliot)

"Poesia são as melhores palavras em sua melhor ordem".
(Samuel Taylor Coleridge) 

“A poesia é das raras atividades humanas que, no tempo atual, tentam salvar uma certa espiritualidade. A poesia não é uma espécie de religião, mas não há poeta, crente ou descrente, que não escreva para a salvação da sua alma – quer essa alma se chame amor, liberdade, dignidade ou beleza.”  
(Sophia de Mello Breyner Andresen)

"A Poesia é a arte que coordena as ideias e as palavras de modo a expressar o pensar e o sentir de forma bela. Fala ao coração. É o belo em forma de Linguagem. Mas a divisão da sociedade em classes, a violência gerada pela exploração da minoria opressora, violam também a arte em todas as suas formas. Em vez de terna, a poesia se torna dura, embora não deixe de ser bela. É que o poeta tem apenas duas mãos e o sentimento do mundo".
(Carlos Drummond de Andrade)

“Entendo que poesia é negócio de grande responsabilidade, e não considero honesto rotular-se de poeta quem apenas verseje por dor de cotovelo, falta de dinheiro ou momentânea tomada de contato com as forças líricas do mundo, sem se entregar aos trabalhos cotidianos e secretos da técnica, da leitura, da contemplação e mesmo da ação. Até os poetas se armam, e um poeta desarmado é, mesmo, um ser à mercê de inspirações fáceis, dócil às modas e compromissos.” 
(Carlos Drummond de Andrade)

"A poesia não é um mal à moral e ao conhecimento, como sentenciou Platão, pois que, justamente por não se deixar fixar num modelo eterno e imutável, como o faz a remota ideia - sinal de conservadorismo e de enrijecimento político -, promove, antes, o movimento e a fluidez das formas, sendo assim mais adequada à percepção de que o mundo se altera e que isso, no final das contas, é bom".
(Roberto Sarmento Lima)

“Pretendo que a poesia tenha a virtude de, em meio ao sofrimento e ao desamparo, acender uma luz qualquer, uma luz que não nos é dada, que não desce dos céus, mas que nasce das mãos e do espírito dos homens. Pois a poesia é isso. É a verdade absoluta em cada um de nós.” 
(Ferreira Gullar)

“A poesia continua o centro da minha existência. Não é um gênero artístico. É a linguagem da vida.”
(Mia Couto) 

“Só com uma ardente paciência conquistaremos a esplêndida cidade que dará luz, justiça e dignidade a todos os homens. Assim a poesia não terá cantado em vão.”
(Pablo Neruda)

“A poesia não nasce das regras, a não ser em parte mínima e insignificante; mas as regras derivam das poesias; e, no entanto, são tantos os gêneros e as espécies de verdadeiras regras, quanto são os gêneros e as espécies de verdadeiros poetas.”
(Giordano Bruno)

“É possível que a poesia seja ficção, mas eu prefiro pensá-la como Goethe: inseparável da verdade.”
(Eugénio de Andrade)

“Onde eu me sentia liberto e aliviado, porque havia transformado a realidade em poesia, meus amigos se enganaram acreditando que se devia transformar a poesia em realidade.”
(Johann Goethe)

“E nenhum poema será tão grande, tão nobre, tão verdadeiramente digno do nome de poesia quanto aquele que foi escrito tão só e apenas pelo prazer de escrever um poema.”
(Edgar Allan Poe)

“Poesia é um ofício que, para ser exercido com proficiência, exige um árduo e constante aprendizado.”
(W.H. Auden)

“É estranho que tão pouco deles (os críticos) percebam que se faz poesia por necessidade. A maior parte parece supor que se escreve para imitar Mallarmé ou filiar-se a uma escola literária. A poesia não é uma atividade literária, e sem vital”.
(Wallace Stevens)

“Poesia é o arado que resolve o tempo, para que suas fundas camadas, solo negro, cheguem à superfície. Há épocas, porém, em que a humanidade, insatisfeita com o presente, sonha com camadas ainda mais fundas e anseia, como o lavrador, pelo solo virgem do tempo.”
(Ossip Mandelsta, poeta russo)

“Um grão de poesia é suficiente para perfumar um século inteiro.” 
(José Martí)

“A poesia é o eco da melodia do universo no coração dos humanos.”
(Tagore)

“As duas qualidades mais preciosas em Arte, que mais raramente se reúnem: Realidade e Poesia.”
(Eça de Queiroz)

“A poesia não comporta gralhas como a prosa, que às vezes até fica melhor... É coisa tão delicada que só vive de ritmo e de harmonia. Quase dispensa as ideias. Quem lhe tocar, assassina-a sem piedade.”
(Florbela Espanca)

“Poesia é voar fora da asa.” 
(Manoel de Barros)

“A poesia não se entrega a quem a define.”
(Mário Quintana)

“[...] A poesia tanto pode ser luz como transgressão: ela nos ensina a ver como se víssemos pela primeira vez, a subverter permanentemente o já visto. Na sociedade de consumo irrestrito em que vivemos, não é pouca coisa
(Carlos Felipe Moisés, professor, crítico literário e poeta)

“[...] A poesia é uma hóspede invisível: só percebemos que visitou, num frêmito, o corpo do texto quando já foi embora; o vestígio de sua passagem é o poema. O poema é o rastro possível da poesia que andou por lá. A poesia não tem rosto. A face pressupõe identidade e reconhecimento. Todavia, como disse Ferreira Gullar em “Traduzir-se”, o poeta é (também) estranheza e solidão. Estranheza frente à linguagem cristalizada que subestima a irrupção da potência clandestina do cotidiano. Solidão, porque poesia é um baixo-falante, que capta e filtra os ruídos do mundo através da escala microscópica da sensibilidade de cada um”.
(Antonio Carlos Secchin, é poeta, ensaísta, ficcionista, crítico literário e membro da ABL)

"Tudo de que fruo do mundo é o de que a poesia se apropria (de sua ração de espírito), mesmo contra o homem, se este – em particular, ainda não deu o salto (dialético) do estágio hominídeo para o sapiens, eticamente alto, humanamente pleno. [...]”
(Vital Corrêa de Araújo, in ‘A palavra que quer(em) calar’)

"Poesia é matéria fluídica, gérmen de todas as artes, sêmen de um astro que se recusa a ser subterrâneo."
(Natanael Lima Jr.)

“E a poesia sempre é melhor do que nós, ou mesmo maior, já que ela é círculo de girassol e de aventura.”
(Diego Mendes Sousa)

“Em tempos de caos ou temperanças, a poesia eleva, e nos traz, ao seu modo, alguma esperança; não que a Arte salve ou tenha tal missão, mas as palavras ditas, escritas nas águas, folhas ou telas, grita, nas vozes dos poetas, a liberdade de alguém em vida. Escrever, escreviver, criar frutos futuros, visões; simplesmente ter, rodeados de um vazio social, uma janela aberta: e dela contemplar uma possibilidade infinita. Eis a poesia (alma), o poema (corpo), as palavras (veias) que habitam em mim e que procuro transcender em sons, imagens e ideias.”
(Neilton Lima, professor universitário, poeta, escritor, revisor e crítico literário)



SOBRE A POESIA SOBRE A POESIA Reviewed by Natanael Lima Jr on 21:12 Rating: 5

2 comentários

  1. Que a poesia exerça a fonte do estrabismo e encontre no ser humano a visão de mundo.
    genesio.ramalho1953@hotmail.com
    Texto lindo.
    O poeta é sempre um sonhador que se acorda...

    ResponderExcluir
  2. Precisa de mais. Mas acrescentou um conhecimento a mim.

    ResponderExcluir