sábado, 18 de novembro de 2000


EMÍLIA LEITÃO GUERRA

(Pesqueira/PE, 18/11/1883 – Salvador/BA, 23/11/1966)

(Sem registro de foto)

Começou a escrever muito cedo, tendo sua produção literária divulgada através de jornais e periódicos das cidades de Salvador e Feira de Santana. Publicou seu primeiro livro “Lyrios da Juventude” no ano de 1909, que tinha como temática o comportamento da mulher na sociedade da época. Com uma linguagem elegante e versos bem ritmados, escreve uma poesia confortadora e equilibrada, enaltecendo o casamento e a vida a dois em um momento em que a mulher começava a questionar esse vínculo importante à sociedade capitalista.
Principais obras: Lyrios da juventude (1909); Evocações (1957).
  
Amo-te*

Quando os teu olhos fito e leio neles quanto
Sou amada por ti, meu doce e nobre amigo,
Minh’alma, do prazer , veste o purpúreo manto
Como te adoro então e como te bendigo!

E me deixo embalar no mar sereno e quieto
Dos castos ideais, dos pensamentos sãos,
Pois é tão puro e bom, tão calmo o nosso afeto
Que eu penso ver em ti algum de meus irmãos.

Ponho os olhos nos teus e vejo aí tu’alma,
Alma impoluta e boa, alma sincera e calma,
A sonhar, a sonhar, sempre a sonhar comigo...

de joelhos, então, ao Redentor do mundo
esta dita agradeço, em êxtase profundo,
Amo-te muito, muito, oh! meu sincero amigo.


*In Escritoras brasileiras do século XIX, vol. II, p. 1059-1060



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima