QUATRO POEMAS DE MELCHÍADES MONTENEGRO


Postado por DCP em 09/05/2021

 

[Curadoria de Natanael Lima Jr]







Melchíades Montenegro é escritor e Presidente da ARL

Foto: Reprodução







PINZÓN E O REI

 

Homenagem aos 500 anos de

Vicente Pinzón em Pernambuco

Janeiro de 2000

 

Senhor, meu rei!

Prostrado aos Vossos pés, confesso:

 

o pavor , o receio, a angústia,

o calor, a tempestade, a calmaria

o abandono , o desespero. Medo!

Não mais avistar

nossa boa estrela guia.

 

Senhor, meu Rei!

Prostrado aos Vossos pés, deponho:

 

beleza selvagem e indômita,

verdor sem fim , estonteante ,

luz muito mais que ofuscante ,

desembarcar naquela terra distante

no cabo que nos serviu de guia,

Santa Maria de la Consolación!

 

Senhor, meu Rei!

Prostrado aos Vossos pés, digo:

 

impossível mar de águas doces,

só posso dizer que vi.

A madeira de veio rubro,

única paga ao nosso esforço .

Aves coloridas que falam como nós,

para Vosso deleite as trouxe.

 

Senhor, meu Rei

Prostrado aos Vossos pés, imploro -

 

Deixeis meu nome no olvido,

não desejo para minha fama,

o pecado de, com minhas sujas botas ,

ter maculado o paraíso.



VIAJANTE ESTELAR

 

Salar de Uyuni, Laguna Colorada, Deserto de Atacama

 

Vendo estrelas cintilantes

refletidas nos teus olhos,

meu coração, a cismar, remói:

- Viajar a uma estrela

é possível a quem ama,

impossível sim, decifrar

no teu olhar as imagens

alcançando uma estrela.

 

Aos impulsos de um suspiro

meu coração acelera,

e no infinito sideral

mergulho nos teus olhos.

Cativo sou dos astros

que ele encerra.

Transporto meu desejo de ti

alcançando uma estrela.

 

Viajante estelar

Nos abismos do cosmo.

Trajetória infinita

de esperança e ternura,

transmutada

no desejo e gesto

de beijar teus olhos

alcançando uma estrela.



O AMOR

 

Tal vento fustigando o eremita

sem apagar seu ardor,

zumbidos acalentam

esperança, certeza.

 

O corpo à terra

 

Amor no infinito do tempo

torna-se néctar, trazendo sabor

de frutas maduras,

odores de flores abertas ao sol.

 

à terra preso,

 

Sereno, o sereno pousado em gotas,

pétalas rorejadas esperando a aurora,

raios de sol na cálida manhã

alçam-no em neblina.

 

preso, a mente vai.



NO MAR


(a bordo do navio Costa Mediterrânea, na

Linha Equatorial em pleno oceano Atlântico)

Março de 2009

 

Na esteira de espumas brancas

Diluindo vão as lembranças;

sinto minh’alma qual albatroz

perdido na imensidão atroz.

 

Onde estou? Quem sou? Anônimo?

Saudades não sinto, pudera,

turbilhão de faces sem imo

circulam ao redor nessa espera.

 

No azul do horizonte distante,

a sombra de alguém de outra era

parece que vi por um instante.

 

Reflexos na água me mantém

lembranças. Vivê-las, pudera!

Pretéritas imagens de alguém.

























QUATRO POEMAS DE MELCHÍADES MONTENEGRO QUATRO POEMAS DE MELCHÍADES MONTENEGRO Reviewed by Natanael Lima Jr on 23:32 Rating: 5

4 comentários

  1. Boa noite, Natanael!
    Que escolha maravilhosa essa sua,de colocar essas belíssimas poesias! Do grande poeta Melchiades Montenegro Filho.

    ResponderExcluir
  2. Amei os poemas. Sobretudo Pinzon e o Rei. Magnifico. Parabens.

    ResponderExcluir

Recent in Recipes

3/Food/post-list