TOP SÉRIE DCP: OS MAIORES CLÁSSICOS DA LITERATURA MUNDIAL



Por Natanael Lima Jr.*



Imag. Capa: Divulgação



Cem Anos de Solidão é uma obra do escritor colombiano Gabriel García Márquez, Prêmio Nobel de Literatura em 1982, e é atualmente considerada uma das obras mais importantes da literatura latino-americana. O ano da sua primeira edição ocorreu em 1967.


“‘Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendia havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer a fábrica de gelo’… Com essa frase antológica, García Márquez, Prêmio Nobel de Literatura de 1982, introduz a fantástica Macondo, um vilarejo situado em algum recanto do imaginário caribenho, e a saga dos Buendia, cujo patriarca, Aureliano, fez 32 guerras civis… e perdeu todas. García Márquez já despontava como um dos mais importantes escritores latino-americanos, no início da década de 1970, quando ‘Cem Anos de Solidão’ começou a ganhar público no Brasil. O livro causou enorme impacto. Na época, o continente estava pontilhado de ditaduras. Havia um sentimento geral de opressão e de impotência. Então, essa narrativa em tom quase mítico, em que o tempo perde o caminho, em que os episódios testemunhados e vividos acabam se incorporando às lendas populares, evoca nos leitores uma liberdade imemorial, que não pode ser arrebatada. E tão presente. Tão familiar e necessária.”


*Fonte: revistabula.com 











*Natanael Lima Jr. é poeta e editor do DCP e da Imagética Edições.   

Postar um comentário

1 Comentários