TOP SÉRIE DCP: OS MAIORES CLÁSSICOS DA LITERATURA MUNDIAL



Por José Luiz Mélo*







Meu caro Natanael. Face sua solicitação em lhe fazer uma resenha de livro que me impressionou, encaminho foto de capa e algumas impressões sobre o livro: Os detetives selvagens. Atenciosamente, José Luiz Mélo.



“O livro, “Os detetives selvagens” não deixa de ser o balanço de uma geração que era demasiado jovem quando havia projetos de transformação radical da América Latina e do mundo e que, ao chegar a idade de participar, descobriu que só restavam escombros e cadáveres.” (2ª. Orelha)

“A linguagem vigilante e cheia de graça de Bolaño, sua maneira de construir textos ao mesmo tempo desconcertantes, brilhantes e infinitamente próximos, é uma forma de resistir ao mal, à adversidade, à mediocridade.” Le Monde.



Roberto Bolaño nasceu em 1953, em Santiago do Chile, morou um bom tempo no México e depois foi para a Europa. Instalado na Espanha a partir de 1977, exerceu diversas atividades manuais para sobreviver. Depois do sucesso de crítica de La literatura nazi na América (1966) publicou várias obras em poucos anos. Morreu de insuficiência hepática em Barcelona em 15 de julho de 2003. Dele, a Companhia das Letras publicou, entre outros, Noturno do Chile, Estrela distante e 2666.













*José Luiz Mélo é poeta e componente da Geração 65 de escritores pernambucanos.

Postar um comentário

0 Comentários