domingo, 12 de abril de 2015


POEMAS DO DOMINGO

Três poemas de Erickson Luna*
  


Erickson Luna. Crédito: Camilo Soares



Mariposa

Pra eu poder
e só
andar nas ruas
fez-se em volta uma cidade

Para se dar
mais colorido à noite
pôs-se acima um luminoso

E pra que eu
me sinta bem enfim
nesta cidade
há-se em mim um cidadão

Portanto livre
como o que é em noite
e que enche as ruas
perseguindo luzes
acordando
ainda que em sonhos
íntegro
ainda que meio-homem
plenamente meio
mariposa



Uma presença

Vez por outra uma presença
me confunde a solidão
menos espero
e muito mais me vejo só

Não ter do que ter saudade
me deprime e reanima
se me constrange
também não me tira a calma

Além da dor que me embriaga
a lucidez
resiste ao dia, a esta cidade
e a vocês

  


3 x não

Não creia em mim
Não há futuro
Não me deixo pra depois



*Erickson Luna poeta recifense, falecido em 2007, foi um dos importantes nomes do “Movimento de Escritores Independentes. Teve alguns poemas publicados na Coletânea poética I – marginal Recife (2002) e em fanzines. Em 2004 lançou o livro ‘Do moço e do bêbado’ (2004).



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima