domingo, 13 de novembro de 2011


Poetas da Geração 80




É o blog editado pelo poeta, ensaísta e crítico literário Cícero Melo, nascido em União dos Palmares/Alagoas e radicado em Recife desde 1980. Participou ativamente da vida cultural do Recife na década de 80 quando da existência do Movimento de Escritores Independentes de Pernambuco (MEIPE). Cícero contribuiu na década de 80 para formar uma fortuna crítica sobre a produção poética dos seus contemporâneos. O blog ao longo de seus 03 anos de existência vem divulgando importantes poetas que marcaram época nacionalmente na década de 80, entre eles Delasnieve Dasped (Mato Grosso do Sul), Luiz Augusto Cassas (Maranhão), Cida Pedrosa (Pernambuco), Pedro Dubois (Santa Catarina), Inaldo Cavalcanti (Pernambuco), Antonio Botelho (Pernambuco), Paulo Gustavo (Pernambuco), Chico Espinhara (Pernambuco), Dione Barreto (Paraíba), Luiz Alberto Machado (Pernambuco), Eduardo Martins (Pernambuco), Fátima Ferreira (Pernambuco), Iremar Marinho (Alagoas), Luiz Carlos Monteiro (Pernambuco), Bartyra Soares (Pernambuco), Ana da Cruz (Minas Gerais), Manoel Constantino (Alagoas), Lourdes Nicácio (Pernambuco), Elizabeth Hasim (Pernambuco), Leonardo Cavalcanti (Rio Grande do Norte), Lúcio Ferreira (Pernambuco), Elizabeth Misciasci (São Paulo), Erickson Luna (Pernambuco), Graça Graúna (Rio Grande do Norte), Lenilde Freitas (Paraíba), Ângelo Monteiro (Pernambuco), Telma Brilhante (Ceará), Sidney Wanderley (Alagoas), Marcos de Farias Costa (Alagoas), Weydson Barros Leal (Pernambuco), Salgado Maranhão (Maranhão), Marcos D’Morais (Pernambuco), Marco Polo (Pernambuco), Antonio de Campos (Pernambuco), Márcia Sanchez Luz (São Paulo), Júlia Lemos (Pernambuco), Samuca Santos (Pernambuco) e recentemente o poeta pernambucano Natanael Lima Jr. Acesse geracao80.nafoto.net



QUATRO POEMAS DE NATANAEL LIMA JR


Voz por toda parte

um acordo fiz contra o acordo:
sangrar de vez a voz,
ser grito e lábios eternamente

um acordo fiz contra o acordo:
ser palavras qual extensão da vida
e ser mãos, olhos e alma

um acordo fiz contra o acordo:
jamais limitar os sonhos
e viver até desflorescer

um acordo fiz contra o acordo:
jamais ressuscitar a dor,
ser amor presente
e voz por toda parte


janeiro/2010



Elegia às coisas que faço

(sobre tema de Mário Quintana)


 no poema que me traço
                 ameaço e abraço
                 torturo e afago
                 às vezes me faço místico
                 e às vezes me faço louco
                 
às vezes me faço coisas
                 restos
                 migalhas
                 lembranças

às vezes as coisas fazem
                renascem
                brotam
                ressurgem

no poema que me traço
               eternamente me busco
               passo a passo
               frente a frente
               lentamente

no poema que me traço
               todas as coisas
               um dia existirão


setembro/2010



Viemos pelas mãos do tempo


viemos pelas mãos do tempo
pelas mãos dos séculos
a existência em nossas mãos
efêmeras e desregradas

viemos donde tudo é transitório
e o desconhecido,
um sonho irrevelado

o universo é o excesso
das mãos que se arrastam
nas sombras do tempo

viemos pelo desejo de recriar,
transformar, transcender
a dor e ciciar de emoção
a voz que fala à alma
e revela pelas vias coração


julho/2010



Inumeráveis as noites

da janela do quarto
vejo a noite transfigurar-se bela
sutilmente bela
única, tímida, frágil
refletindo-se negra
alma, canção, poesia

inumeráveis as noites!

o universo se move
e as estrelas parecem imóveis
renegadas, esquecidas, abandonadas
nas madrugadas do teu corpo

inumeráveis as noites!

quis possuí-las
e as vislumbrei despidas
reveladas de corpo e alma
translúcidas vidas

inumeráveis as noites!


julho/2010



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima