domingo, 13 de agosto de 2000


VESPESIANO RAMOS

(Caxias/MA, 13/08/1884 - Porto Velho/RO, 26/12/1916)


Poeta. Foi considerado o precursor da literatura em Rondônia, publicou diversos poemas em jornais e revistas de sua época. É patrono da Cadeira nº 32 da Academia Maranhense de Letras e da Cadeira nº 40 da Academia Paraense de Letras. Publicou apenas um livro "Coisa Alguma", com apenas três edições desde 1916, Vespasiano Ramos alcançou popularidade com poesias simples e cariciosa, em que tão nitidamente se refletem os seus estados de alma.
  
Ânsia maldita

Ninguém mais do que tu saberá quanto
Padeço, agora! e, em lágrima, advinha
A minh’alma apagar-se, neste pranto,

Beatriz! Alma em flor! Suave encanto,
Que me salvar, pensei, dos altos, vinha:
O quanto peno, o quanto sofro, enquanto
Imagino que nunca serás minha!

Foram, por ti, as lágrimas que os olhos
Meus derramaram! só por ti, somente
Que minh’alma, do Amor contra os escolhos,

Há de, convulsa, soluçar, um dia,
A derradeira lágrima pungente
E o derradeiro grito de agonia!



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima