segunda-feira, 10 de abril de 2000


EZEQUIEL FREIRE

(Rezende/RJ, 10/04/1850 – Caçapava/SP, 14/11/1891)

 
Cronista e poeta Parnasiano. Foi redator dos jornais Correio Paulistano, Diário Popular, A Província de São Paulo e a Gazeta de Notícias do Rio de Janeiro, além de colaborar com diversas revistas do país. Rompeu com o Romantismo e o lirismo de sua época, através de uma produção literária que trazia como temática as questões nacionalistas e ambientais. Em 1874 publica o seu primeiro livro de poemas “Flores do campo”.


Fé e esperança

Quando transpões o limiar da Egreja,
— Velada a fronte calma e scismadora,
Vae com tu'alma a Fé consoladora
E de tu'alma a paz minh'alma inveja.
Depois, se teu olhar límpido adeja
Sobre as feições da Virgem redemptora,
A luz da Esp'rança que teus olhos doura
Aclara o limbo em que meu ser negreja.
E ao ver-te assim, na prece silenciosa,
Prosternada ao sopé do Santo Lenho,
Sinto a influição da crença religiosa;

E peço a Deus, com fervoroso empenho,
Faça vingar-me n'alma duvidosa
Essas doces virtudes que não tenho.



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima