O SOPRO POÉTICO DE LOURDES SARMENTO


Por Natanael Lima Jr.*

Postado por DCP em 07/03/2021






Lourdes Sarmento é escritora e da APL
Foto: Reprodução




O filósofo e poeta francês Gaston Bachelard disse em uma das suas renomadas obras que a poesia sob sua forma simples, natural, primitiva, longe de qualquer ambição estética, de qualquer metafísica, seria uma espécie de alegria do sopro, uma evidente necessidade de respirar. Eis que o leitor atento encontra este sopro poético nos versos de Lourdes Sarmento.

 

Os poemas aqui escolhidos foram extraídos dos livros: O segredo das acácias, 2017; Sinfonia de estrelas, 2020; 25 Momentos, 2020. Todos publicados pela Edições Novo Horizonte, Recife, PE.

 

Lourdes Sarmento nasceu no Recife, PE. É poeta, escritora, pesquisadora, biógrafa e jornalista é editada por Vericuetos / Chemins Scabreux, em Paris; Editorial Francachela, em Buenos Aires e Ediciones Alejo, em Lima.

 

Possui 27 livros publicados em português, inglês, francês e espanhol. Participa em 150 antologias nacionais e internacionais, tendo trabalhos literários e jornalísticos apresentados em Washington e Miami (USA), Lima (Peru), na Cidade do México, Lisboa (Portugal) e Buenos Aires (Argentina).

 

Organizou a antologia Poésie du Brésil, publicada em Paris, 1997. Segundo a professora Anne Marie Quint, da Sorbone foi o primeiro livro sobre brasileira, publicado em Paris, após trinta anos de silêncio. A referida antologia foi catalogada pela Fundação Gulbenkien e, oficialmente, colocada na internet, pela Embaixada do Brasil, em Paris.  Sarmento é uma escritora premiada em Pernambuco, Rio de Janeiro, Minas Gerais e detentora de numerosas homenagens no país.

 

Pertence a diversas Academias de letras e Associações Nacionais e Internacionais, como: Academia Pernambucana de Letras; Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro; de Artes e Letras de Pernambuco; da Recifense de Letras; de Letras do Brasil/PE; da União Brasileira de Escritores/PE, entre outras.



*Natanael Lima Jr. é capricorniano, poeta, produtor cultural, editor do DCP e da Imagética Edições





CINCO POEMAS ESCOLHIDOS DE LOURDES SARMENTO

 

 

 

 

ELE / O POEMA*

 

O poema não me trai

feito do meu sangue e suor

escuta minhas paixões

                           de ontem

solidário no amor que me

                           alimenta

 

Não me censura, não deseja

o que construí com tanta luta

vem do coração à mente

Deita-se ao meu lado

como um filho que gerei

Entrega-me a primeira estrela

que surge para iluminar

o espaço que ocupo

É silêncio na dor e na vitória

É sempre ele que salva

a solidão que me amedronta

a resposta exata do que sonhei.

 

*In O segredo das acácias

 

 

A ESPERA REVISITADA*

 

Trago em mim a espera dos conhecidos,

a dor revisitada é mais forte:

como um punhal entrando na carne,

 

a dor foi apenas minha, sozinha

como o destino do nada

 

A certeza chegou tarde:

ser sozinha, sem angústias, completa

como o mistério da vida,

a voz de Deus conduzindo novos

                     caminhos.

 

Com o coração livre inauguro

Novo tempo, um ramo de acácias,

                       sem nada esperar.

 

*In O segredo das acácias

 

 

PÁSSAROS EM CONCERTO* 

 

Sou o momento

nada mais do que o momento

Convido-te para o concerto

de pássaros:

a sinfonia de Schubert

um corte de vida

separando os mistérios

Tudo está no momento

só o agora existe

um ponto final

na indulgência da vida

 

*In Sinfonia de estrelas

 

 

MOMENTO 14* 

 

Que tu mulher

possas varar as madrugadas

tens a palavra

armadura firme,

vem de longos tempos

rompem a noite

quando as estrelas dormem

A tua estrela caminha

na estrada ao dia

com a luz

e o perfume das flores

 

*In 25 Momentos

 

 

RESNASCIMENTO*

 

A mulher que renasceu na dor

face tranquila, silenciosa flor

um quase sorriso, contido

o gesto na mão estendida,

lembrando pessoas distantes.

Nela uma ferida sentida

Quem são os outros?

Não importa seus nomes;

depois da dor,

apenas a alma renascida

no amor.

Para os outros: silêncio.

 

*In O segredo das acácias 














O SOPRO POÉTICO DE LOURDES SARMENTO O SOPRO POÉTICO DE LOURDES SARMENTO Reviewed by Natanael Lima Jr on 01:45 Rating: 5

5 comentários

  1. Bela postagem sobre nossa amiga e poetisa Lourdes Sarmento, amigo Natanael! GOSTEI MUITO DA SELETA DE POEMAS DE LOURDES SARMENTO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito agradecido poeta José Terra. A poética de Lourdes Sarmento tem contém esse 'sopro poético.

      Excluir
    2. Digo, contém esse "sopro poético".

      Excluir

Recent in Recipes

3/Food/post-list