O AMOR E O DESAMOR NA LITERATURA



Por Natanael Lima Jr.*



Eros e Psiquê de Jean François Lagrenée I
Tela para Quadro na Santhatela I Reprodução



O amor e o desamor são temas recorrentes na literatura, seja na prosa ou verso. São sentimentos universais que por mais explorados que sejam, continuam sendo inspiradores para poetas e escritores.

O amor em todas as suas diferentes formas, inclusive a do desamor, sempre foram inspiradores de belos poemas e romances em todas as épocas e em todas as línguas.

Grandes poetas como Luís de Camões, Gonçalves Dias, Castro Alves, Álvares de Azevedo, Fernando Pessoa, Pablo Neruda, Olavo Bilac, Cruz e Sousa, Florbela Espanca, Manuel Bandeira, Vinícius de Moraes, que souberam em seus versos, cantar o amor e o desamor.


“O amor é um fogo que arde sem se ver”, define o grande poeta português, Luís de Camões em seu magnífico soneto: “O amor é um fogo que arde sem se ver / é ferida que dói e não se sente; / é um contentamento descontente; / é dor que desatina sem doer; / é não querer mais que bem querer; / é solitário andar por entre a gente; / é um não contentar-se de contente; / é cuidar que se ganha em se perder; (...)”.

Em seu “Via Láctea”, Olavo Bilac é capaz de ouvir e de entender estrelas por amor: “Ora (direis) ouvir estrelas! Certo / Perdeste o senso! E eu vos direi, no entanto, / Que, para ouvi-las, muita vez desperto / E abro as janelas, pálido de espanto... (...) / E eu vos direi: “Amai para entendê-las! / Pois só quem ama pode ter ouvido / Capaz de ouvir e de entender estrelas.”.

Já o desamor “é um barco sem mar, um campo sem flor”, canta Vinícius em seu “Samba em prelúdio”: “Eu sem você não tenho porque / Porque sem você não sei nem chorar / Sou chama sem luz / Jardim sem luar / Luar sem amor / Amor sem se dar / Eu sem você / Sou só desamor / Um barco sem mar/ Um campo sem flor / Tristeza que vai / Tristeza que vem / Sem você, meu amor, eu não sou ninguém (...)”.

Diz Aristóteles que "o amor é o sentimento dos seres imperfeitos, posto que a função do amor é levar o ser humano à perfeição". Acrescenta o filósofo grego que "ama-se mais o que se conquistou com esforço" e conclui que "o amor é o estado em que melhor as pessoas veem as coisas como realmente elas são."





*Natanael Lima Jr. é poeta, editor do site Domingo com Poesia e da Imagética Edições 









O AMOR E O DESAMOR NA LITERATURA O AMOR E O DESAMOR NA LITERATURA Reviewed by Natanael Lima Jr on 01:27 Rating: 5

2 comentários

  1. Maria de lourdes Hortas15 de dezembro de 2019 20:08

    Muito bom, Natanael. Excelente resumo de sentimentos tão presentes no lirismo através dos tempos. Parabéns peo texto e também po seu trabalho para manter este valioso site.l

    ResponderExcluir

Recent in Recipes

3/Food/post-list