domingo, 10 de abril de 2016


ANIVERSÁRIO DE ALBERTO DA CUNHA MELO, HÁ 50 ANOS DE “CÍRCULO CÓSMICO”

Por Cláudia Cordeiro



"Eis o que é jovem a cada lembrança/ porque não tem data/e série, para envelhecer."
08 DE ABRIL DE 2016.







A imagem retrata momentos do último aniversário do poeta na Terra - o 27º. comemorado na intimidade de nosso pequeno núcleo familiar. Era um domingo de Páscoa. A data parecia anunciar que nosso Beto ressuscitaria da terrível doença pelo transplante, mas ele emigrou em 13 de outubro do mesmo ano de 2007.

No entanto, o poeta parece que pegou a mania, porque nunca mais parou de ressuscitar: em nós, familiares, e na vida de todos que amam a sua poesia, onde ele mora, PARA SEMPRE.


O PRESENTE

O que hoje recebes
e não podes pegar, guardar
em panos e papéis laminados,
é imperecível,
presente onipresente.
Estás com ele na chuva
e não temes que se desfaça.
Estás com ele na multidão
e não o escondes dos mutilados.
O que não existe para os homens
deles estará protegido,
o que os homens não vêem
não poderão espedaçar.
Eis o que não te denuncia
porque não tem face
nem volume para ser jogado no mar.
Eis o que é jovem a cada lembrança
porque não tem data
e série, para envelhecer.
O que hoje recebes
Não pode ser devolvido.


#AlbertodaCunhaMelo



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima