domingo, 24 de maio de 2015


POETA DO DOMINGO

A poesia de Flávia Suassuna*

 Foto: Divulgação


PALAVRA PRESA

Guardada
na garrafa
do mar,
aquela senha
liga-se
ao perfume
de alguém...


SOLIDÃO TEIMOSA

Ninguém achou
a garrafa...

Ela navega
semiafogada
e perdida
na imensidão
do oceano.

Lá nela
se guarda
meu pedido secreto...


PERSISTÊNCIA

O mar e o rio
não se cansam.

Como a vida,
vêm de um mistério
vão para outro...

A mágica
das águas
todo dia
acontece:
o rio é água
que não volta,
nem acaba;
o mar vai
e regressa
amarrado
às marés...

Como a vida,
o rio é
travessia
comprida;
o mar
não pode
desistir...

O resumo
das águas:
sou toda feita
dessa líquida
força!



*Flavia Suassuna nasceu em 1957 em Recife e licenciou-se na UFPE. Desde então, dedica-se ao ensino da literatura. Ainda estudante, escreveu seu primeiro romance Jogo de trevas, publicado em 1980 pelas Edições Pirata – que a transformou na primeira ficcionista de Pernambuco. Em 1987 venceu o concurso da Prefeitura do Recife e teve seu segundo romance Remissão ao Silêncio – publicado pela Fundação de Cultura da Cidade do Recife. Em 2013 publica o livro Trança – primeiro fio (poesia). Atualmente edita o blog Trança que reúne crônicas, poemas e resenhas de livros e filmes. 



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima