domingo, 23 de fevereiro de 2014


Poemas da Semana

Poemas de Lenemar Santos, Cícero Melo, Alberto Lins Caldas, Marcos Cordeiro e Valmir Jordão

Basta*
Lenemar Santos

    Img: Reprodução

A consciência negra do homem, monstros os
Atormentam dias e dias, noites e noites, matando
Aos poucos sua consciência manchada, por puro
Preconceito mostrando o futuro fracassado do seu
Próprio semelhante. Será que por ser mulher negra
Homem negro é mesmo necessário humilhar?
Tirar seus direitos
Deixa-los sem paz?

*Transcrito do livreto Corpo Nu



O leitor de ossos
Cícero Melo

    Img: Reprodução

Ninguém mais lê Poesia,
Contudo, um bilhão de anos além,
Um leitor de ossos
Achará que era a linguagem dos deuses.



Alberto Lins Caldas

    Foto: Reprodução

*
● o mundo mudou demais sancho ●
● mudou alem do q sempre muda ●
● mudou como se não mudasse ●

● virou cobra esperando a hora ●
● do bote entre a lingua e o mundo ●
● e a conversa perde o leite do bem ●

● tão separada das coisas q o abismo ●
● basta ciciar basta começar a narrar ●
● pra engolir falado e falador e mais ●

● o mundo mudou demais sancho ●
● é so falar e arengar sem precisão ●
● a tolice dos vermes na carne mole ●

● esse ruido esse silencio esse nada ●
● vem bem do centro das palavras ●
● doidas como galinhas apavoradas ●

● so restou fuxico vazio sancho ●
● garrafas q não receberam vinho ●
● desejando ser garrafas de vinho ●

● o mundo mudou demais sancho ●
● não são as grandes e sumas forças ●
● as tempestades depois de passarem ●

● nem a grande imaginação o sonho ●
● esse q atravessa a terra o oceano ●
● e tudo toca desfigura e transforma ●

● mas a palavra vazia a palavra nua ●
● quase um grito um berro o gemido ●
● cobiçando ser mais do q é sem ser ●

● o mundo mudou demais sancho ●
● agora é o tempo gordo do menos ●
● hora onde não ha hora nem luta ●

● não ha deus nem mundo nem nos ●
● nem mesmo o povo e a casta vox ●
● nesse mar q se abre e não dura ●

● mas desde sempre o corpo resiste ●
● agora sim sancho podemos tudo ●
● revolver e inventar e recriar a vida ●

*



Sobre a terra, nos confins do Moxotó!
Marcos Cordeiro

    Img: Xilogravura/Reprodução

As tuas mãos ao me tocar um dia
Também tocaram harpas e lanças.
E o meu desejo se fazendo mais ardente
Tocou ao longe oboés e trompas de prata
Em harmonia com o campo verdes,
Ali aos pés da Serra de Jabitacá.

- Ei-me aqui com o amor despido...

À passagem do caçador audaz
Em busca do amor mais fugidio
De fadas e princesas encantadas
Saídas dos livros de estórias,
As siriemas cantaram excitadas.
Seus solilóquios em tom maior:

- Ninguém nos ama! Ninguém nos ama!

Essas sopranos solitárias e tristonhas
Para mim doaram-se em recital
Executando entre lajedos e nuvens
Cantos agrestes e árias azuis.
Ao observá-las nessa tarde de estio
Eu encontrei a eterna primavera.

- Sobre a terra, nos confins do Moxotó!

Olinda, 29/10/2013



Soneto para Clara*
Valmir Jordão

    Img: Reprodução

Só o teu amor me deu alento
Para deszumbinzar nesta existência,
Teus afagos serviram de unguento
Fez migrar a minha incoerência.

Um sereno e belo sentimento
Fez morada com ignea ardência,
Transcendemos o inútil sentimento
Com o amor, nos unindo na essência.

Quando a noite ao parir a claridade
Traz o sol, iniciando um novo dia,
Em teus braços refugio-me de verdade.

Neste amplexo encontro a alegria
E o caminho da real felicidade,
Ao beijar-te, conflui a harmonia.

*Transcrito do livro Poemas diversos



5 comentários:

  1. OBG MARCOS. FOI UM PRAZER. PARABÉNS PELO POEMA.

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o romântico Walmir Jordão. Muito bom.
    Senti o cheiro da Serra de Jabitacá. maravilha Marcos.
    Alberto Lins caldas parece que mata um boi a cada poema. Um Quixote muito lúcido.
    Cicero confirma. O deuses só sabe falar poesias, a gente é que não entende suas metáforas.
    Quanto a Lenemar é poesia simples de menina negra, pobre e vulcânica.
    Muito bom acordar aos domingo com poesia.

    ResponderExcluir
  3. Batido o prego, virada a ponta, guardado o martelo. BCP concluiu o mês de fevereiro de grandes poetas e poemas. Parabéns!!!
    Meus destaques:
    1. A foto de Ariano Suassuna e a xilogravura
    2. Ei-me aqui com o amor despido...
    3. Ao beijar-te, conflui a harmonia
    4. mas desde sempre o corpo resiste ●

    ● agora sim sancho podemos tudo ●

    ● revolver e inventar e recriar a vida ●
    5. Um leitor de ossos
    Achará que era a linguagem dos deuses.
    6. A consciência negra do homem.

    ResponderExcluir

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima