domingo, 23 de fevereiro de 2014


Entrevista com Lenemar Santos: a poeta dos sinais

“É muito difícil ser mulher em uma sociedade na qual vamos ser sempre covardemente agredidas de várias formas”.


Foto: Arquivo DCP/Lenemar Santos




O DCP abre espaço nesta edição para divulgar a entrevista inédita de Lenemar Santos, conhecida como a poeta dos sinais. Nascida em Gameleira, Mata Sul do estado, veio morar em Jaboatão dos Guararapes aos 16 anos. Desde então, ganha o seu sustento com a venda de suas poesias nos sinais de trânsito do Recife e de Jaboatão. A jovem poeta tem mais de 30 títulos de livretos editados por ela mesma e com o apoio de poucos colaboradores.

DCP - O que significa poesia pra você?

LS - Uma parte de mim. Uma forma de ver a vida com esperança eu durmo poesia acordo e vou vender poesia e compro meu alimento com poesia. É minha forma de expressão.

DCP – Existe um ditado que diz: “poesia não vende e não dá voto”. O que você acha disso?

LS - Depende de quem é o poeta! Como já falei vendo e vivo de poesia. Quanto a voto não espero atingir pessoas nessa área, apenas que as poucas que apoiam sejam sempre presentes independente de voto, nossa cultura agradece.

DCP – Você considera sua poesia marginal?

LS - Ás vezes, depende muito do gênero até porque tenho o direito de usar minhas poesias para chamar a atenção da sociedade mesmo que muitas vezes de uma forma um pouco agressiva.

DCP – Toda sua produção literária é independente. Isso acontece por opção ou por você não ter acesso ao mercado editorial?

LS - Por ambos os motivos, porém com o passar do tempo vi que ser uma pessoa simples e honesta tudo si torna mais e mais difícil.

DCP – Como é ser mulher, poeta e sobreviver de poesia?

LS - É muito difícil ser mulher em uma sociedade na qual vamos ser sempre covardemente agredidas de várias formas. E viver de poesias é uma constante luta para sermos vista como uma pessoa que cria algo importante ou que possa traduzir sentimentos.

DCP – Às vezes sua poesia é social e em outras produções ela é romântica. Você tem alguma temática de preferência?

LS - Tive minha fase onde o lirismo era deslumbrante até porque sou uma pessoa sentimental e romântica, porém ainda e sempre trago comigo o lírico e o épico, só que com o satírico muito presente, pois nossa sociedade nos obriga a sermos realistas e usar de nossas armas para gritar de alguma forma nossa revolta.

DCP – Você ficou conhecida como a poeta dos sinais. Como tudo começou?

LS - Quando cheguei aqui em Jaboatão em 2003 ainda adolescente, minha mãe havia falecido a alguns meses, e sem trabalho resolvi vender poesias nos sinais de transito em prazeres, foi ai que nasceu Lenemar Santos. Tive duas pessoas que contei muito com seu apoio, Fernando Farias e Edir Peres, entre outras, foram poucas pessoas boas naquele momento, porém importantes.





10 comentários:

  1. Desde que tive o susto de ser abordado no sinal de trânsito com a pergunta: Posso recitar uma poesia para o senhor? Aprendi a conhecer LENEMAR. Sua criatividade e vontade de vencer supera a de muita gente, mas sem a arrogância tão comum dos autos denominados astros da poesia. É uma fera porque é humilde. É poeta porque é simples. É uma ferra em corpo de menina sapeca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso Fernando que afirmamos que este espaço é plural e democrático. Não fica só na retórica. Agradecemos muito seu apoio.

      Excluir
  2. conheço Lenemar de perto e afirmo é guerreira eu tenho fé que ela vai conseguir
    vencer , aguardo ansiosa o livro dela com selo de uma editora . Ela merece .

    ResponderExcluir
  3. Lenemar, sua poesia, seu olhar e seu viver expressamente dignam de exemplo de força, garra e humildade na sobrevivência da vida! Amiga linda o seu coração expressa também o sentimento de poder gritar tão simplesmente o que muitos não poderiam, por algum motivo alheio à intempérie da vida a sua coragem constante! Meu voto sempre e será seu! Viva!
    Dolores Efrem. 24/02/2014 Jaboatão dos Guararapes-PE

    ResponderExcluir
  4. parabéns ao domingo com poesia pela sensibilidade geral para com todos que fazem literatura em PERNAMBUCO!!!...bela entrevista com a poetisa LENEMAR SANTOS!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obg José Terra, este é o nosso objetivo. Aqui não tem grupinhos, a bandeira aqui é a literatura pernambucana.

      Excluir
  5. Sem comentários o DCP muito além de minhas expectativas. Parabéns! Orgulhoso de minha parceria. Viva a poesia todos grandes palcos, dos sinais, dos bares e das esquinas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Negreiros, salve a poesia! Seja sempre bem-vindo amigo. "Uma pitada de poesia é o suficiente para perfumar um século inteiro".

      Excluir
    2. Natanael, dia 5 de março é o aniversário de Patativa do Assaré, vamos fazer um DCP lhe homenageando com várias poesias de cordel ilustrada com xilogravuras.

      Excluir
    3. vamos lá, aqui o espaço é da poesia!

      Excluir

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima