domingo, 24 de novembro de 2013


Poemas da Semana

Poemas de Cícero Melo, Taciana Valença, Salete Rêgo Barros, Luiz Alberto Machado, Antonio de Campos e Maria Eduarda Dias

Domingos
Cícero Melo



Domingos, Alexandre,
São os piores dias.
As ruas se aproveitam
Para ficarem nuas.



Sou de novembro
Taciana Valença



Sou de novembro,
Mês intenso,
Infundindo sentimentos,
Em miscelânea que escorre...
Explodindo onde há poros,
Pois não há janeiros para tantos destemperos,
Nem carnavais tão tribais quanto a alma que se desnuda,
Deixando-se escorrer púrpura, quente...
Não havendo marços mulher que defina o que quer
Ou mesmo abris, abrindo portas em descaminhos,
Por que novembro ferve com sabor forte de conhaque,
Que nem as forças mães de maio explicam
Por que sou novembro, intensamente novembro,
Pulando fogueiras juninas e julhos despedaçados,
A gosto de um deus em efêmeros setembros,
Prendo fôlego d’um outubro escasso,
Respirando enfim, novembro,
Eflorescência do meu ser, o ar em mim
Para um dezembro questionável
E novo janeiro
D’um ano inteiro!



Biografia
Salete Rêgo Barros



Sou fruto do ontem, semente do amanhã.
Quero entoar hinos antes que chegue o entardecer
e me conduza por caminhos noturnos,
embora saiba que, tão logo,
alcançarei o raiar de um novo dia.

Enquanto eu era noite,
tu despertavas de sono profundo.
Juntos, contemplamos a aurora,
mas não sei de nós dois
quem dormirá primeiro.
Entre risos nos descobrimos e
multiplicamos os nossos talentos
para que, no futuro,
nenhum vendaval nos surpreenda.

Entre muros, refugio-me das tormentas;
nas gavetas, guardo a minha paz.
Enfrentarei a escuridão e sairei triunfante.
A chama que ilumina o meu caminho
estará protegida dos ventos que açoitam a noite.



Preludio
Luiz Alberto Machado (AL)



Foi por viver intensamente
Que amei esta carne
E a fisionomia secreta dos seres
Foi por amar a vida
Que beijei o ventre
E colhi o sonho do sol
Para proteger o homem e a natureza
Foi por ter submetido o coração ao amor
Que submergi nos olhos
No calor vivo das emoções
Sem haver negado qualquer alegria
Nem mesmo projetado qualquer mentira
E foi justamente por ter amado
Que acalentei a dor e a solidão
E renasci eternamente menino.



As flores da consciência
Antonio de Campos

Feliz de quem possui
uma rosa em seu jardim

Brecht



Frutos da beleza devem ser lançados ao vento,
quer o vento literalmente sopre ou seja metáfora
do semeador de notícias. Em seu caminho
deixo cair um poema perfumado & profundo

Três vezes faço a louvação do desabrochar
duma poetisa na flor da idade,
por acontecer em circunstâncias tão adversas,
num solo rarefeito de sais minerais à Árvore da Poesia

A nova poetisa, Maria Eduarda Dias,
com a tenra idade de 15 anos,
em vez de debutar em clube social,
preferiu debutar com um fulminante poema social

Mais social do que o clube onde dançaria
uma rodopiante & estonteante valsa vienense,
sem deixar nenhum legado d’alma,
tendo as futuras gerações como porto de destino

Que Maria Eduarda Dias seja, com As Flores,
bem-vinda à ilustre Sociedade dos Poetas Vivos,
pois o Mundo, mais do que nunca,
necessita de Poetas vivos & verdadeiros.

outubro 09, 2013



As flores
Maria Eduarda Dias



E da faísca deu-se o fogo
da indignação do povo, o renovo
das vorazes bocas, a fome por transformação
e do pensar surge a opinião

É de firmeza que precisamos quando vamos à briga
com ação é que fazemos a luta
e que, por favor, não lhes falte pulmão
pois é dele que vem o coro –

a voz de tantos
de todos os cantos da nação
a mudança em canção
que, cheia de ânsia,
transborda nossos mais sinceros ideais

Só te peço mais isso:
não sejas nuvem passageira
rega tua causa
inflama tua alma
dispensa a chuva ligeira

Promete pra mim que aguardarás as flores
sim, tu sabes que elas virão,
sempre vêm no fim

ainda que custem sangue



14 comentários:

  1. Natanael, substituir "sãos" por "são" no meu poema. Foi um escorrego.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá cumpadre, já retificamos. Parabéns pelo belo poema, estamos juntos!

      Excluir
    2. Cícero, agradecemos pela sua participação em nossa coluna, sempre com um belo poema. Parabéns poeta.

      Excluir
  2. Feliz por estar no Domingo com Poesia! Obrigada Natanael e Frederico. Gostei da intensidade de Maria Eduarda, realmente o mundo está cheio de nuvens passageiras, falta de sangue nas veias, um "tanto faz" que deixa o mundo morno. Concordo assim com "As Flores da Consciência", do Antônio de Campos. Que ela leva adiante sua poesia e sua luta social por um mundo melhor. Quando temos 15 anos o mundo está em nossas mãos, permanecendo, se não deixarmos que o tirem, sendo assim levados pelos desvios eleitos por um sociedade medíocre e superficial. Belo poema de Luiz Alberto, Salete e Cícero. Parabéns mais uma vez pelas escolhas. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecemos sua força e parceria. Abç!!!

      Excluir
    2. Sua poesia dá o tom preciso para que esta coluna tenha o brilho que merece. Meus parabéns, volte sempre. Um forte abraço.

      Excluir
  3. Quero parabenizar os amigos Natanael e Fred pelo excelente trabalho realizado em prol da nossa literatura, no Domingo com Poesia. Destaco a delicadeza com que vocês escolhem as fotografias que compõem os trabalhos enviados (amei a da minha biografia). Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Salete, vc não conseguiu se identificar, probleminhas da tecnologia, rsrs. Mas agradecemos muito sua parceria e suas colaborações ilustram ainda mais o nosso "Domingo".

      Excluir
    2. Salete, você é nossa parceira neste empreendimento, o que temos a fazer é só a agradecer. Abraços.

      Excluir
  4. Natanael e Frederico,
    Como é improvável que todos estes poemas tenham sido escritos em forma de pirâmide, venho deixar o meu "protesto" pela forma como estão publicados, que, além deixar os versos com a mesma cara, ainda dificulta a leitura. Sabemos todos que um poema precisa ser publicado em sua forma original. Imaginem se fôssemos desalinhar ou publicar em forma de pirâmide os poemas de Mallarmé ou de Augusto de Campos.
    Parabéns pelo Domingo com Poesia.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Iremar,

      Antes de mais nada agradecemos seu comentário, pertinente por sinal. A postagem dos poemas "centralizados" ocupa melhor o espaço (corpo) da coluna e a imagem que sempre trazemos para ilustrar o poema, a penas isso. Vc tem razão iremos tentar postar de maneira que esteja de acordo com a forma original. Seu "protesto" está registrado. Nossa página está aberta pra sugestões. Agradecemos sua atenção.
      Abraços,

      Natanael Lima Jr

      Excluir
  5. Caro Natanael,
    Agradeço pela gentileza da resposta.
    Não economizo elogios ao Domingo com Poesia.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós agradecemos a sua contribuição, valiosa por sinal. Já estamos conversando com o pessoal técnico para adaptar já neste domingo. Abraços parceiro! Aqui, o espaço está aberto mesmo!

      Natanael Lima Jr

      Excluir
  6. I am the original artist of the Blood Rose artwork you have used here. I did not give permission for it to be used here. You are in violation of USA copyright laws. Please remove my artwork from your site immediately.

    Tabitha Jones
    CEO
    Gothic Toggs

    ResponderExcluir

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima