domingo, 26 de agosto de 2012


O Anjo Pornográfico


Antonino Oliveira Júnior*
 
 

 
 
 
 
Nelson Rodrigues
(1912 – 1980)
 
 
O Brasil comemora o centenário de nascimento de uma de suas maiores expressões da literatura: Nelson Rodrigues. Jornalista, teatrólogo e torcedor do Fluminense, o pernambucano Nelson notabilizou-se como cronista do cotidiano, primeiro nas colunas publicadas em jornais e, posteriormente, ao levar essas crônicas para os palcos. 

“A Mulher sem Pecado” foi seu primeiro trabalho para o teatro, desencadeando uma série de textos polêmicos e muito verdadeiros, a exemplo de “Vestido de Noiva”, “Engraçadinha” e outros. Extremado em sua visão sobre o cenário social, atingiu de forma clara e assumida a hipocrisia da sociedade brasileira, em especial as classes média e alta, de quem fazia questão de tirar a máscara e roupa, desnudando seres que viviam camuflados.

Nelson Rodrigues assumiu de frente suas posições como escritor e jornalista; posições expressas em seus artigos e peças teatrais construídas a partir do mais autêntico laboratório que se pode utilizar: todos os dias acordava cedo e ficava, geralmente, até às 10 horas, nas praças, nos botecos, nas padarias, calado, tomando cafezinho e ouvindo as conversas do povo que invadia as ruas. A partir daí, corria para a redação do Jornal ou para seu escritório de casa, pondo-se a escrever em sua velha máquina. À tarde os jornais expunham seus pensamentos, extraídos de suas entranhas intelectuais.

Dia desses, por causa de Nelson Rodrigues, quase perco uma amiga, pois comentei com ela a célebre frase “Nem todas as mulheres gostam de apanhar; só as normais, as neuróticas reagem” e a amiga esbravejou que jamais aceitaria que um homem lhe batesse. E aí eu falei: - Mas Nelson disse que as neuróticas não aceitam. Minha amiga enfureceu-se de vez... rsrsrsrs.

Mas Nelson Rodrigues é assim mesmo... Cem anos... E tão presente nos preconceitos, nas camuflagens sociais que ainda existem e que escondem, de forma ridícula as manchas de uma sociedade que se diz limpa. 

SALVE, NELSON RODRIGUES !
 
*Antonino Oliveira Júnior é poeta e membro da Academia Cabense de Letras

 
 
 
FRASES DE NELSON RODRIGUES

 
“Só o inimigo não trai nunca”

“Nem todas as mulheres gostam de apanhar; só as normais, as neuróticas reagem”

“Invejo a burrice, porque é eterna”

“Se todos conhecessem a intimidade sexual uns dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém” 

“Muitas vezes é a falta de caráter que decide uma partida. Não se faz literatura, política e futebol com bons sentimentos”

“O pudor é a mais afrodisíaca das virtudes”

“O brasileiro, quando não é canalha na véspera, é canalha no dia seguinte”

“O artista tem que ser gênio para alguns e imbecil para outros. Se puder ser imbecil para todos, melhor ainda”

“Só o rosto é indecente. Do pescoço para baixo, podia-se andar nu”

“Só o cinismo redime um casamento. É preciso muito cinismo para que um casal chegue às bodas de prata”
 
 
 



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima