terça-feira, 12 de setembro de 2000


ÁLVARES DE AZEVEDO

(São Paulo/SP, 12/09/1831 – Rio de Janeiro/RJ, 25/04/1852)


Foi poeta, escritor e contista, da segunda geração romântica brasileira. É patrono da Cadeira nº 2 da Academia Brasileira de letras. Seus poemas retratam seu mundo interior, foi conhecido como o poeta da dúvida. Não teve nenhuma obra publicada em vida. O livro “Lira dos Vinte Anos” de 1853 foi a única obra preparada pelo poeta. Escreveu muitas cartas e ensaios, traduziu para o português o poema “Parisina”, de Lorde Byron, e o quinto ato de “Otelo” de William Shakespeare.


Soneto

Pálida, à luz da lâmpada sombria,
Sobre o leito de flores reclinada,
Como a lua por noite embalsamada,
Entre as nuvens do amor ela dormia!

Era a virgem do mar! Na escuma fria
Pela maré das águas embalada!
Era um anjo entre nuvens d´alvorada
Que em sonhos se banhava e se esquecia!

Era mais bela! O seio palpitando...
Negros olhos as pálpebras abrindo...
Formas nuas no leito resvalando...

Não te rias de mim, meu anjo lindo!
Por ti - as noites eu velei chorando,

Por ti - nos sonhos morrerei sorrindo!



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima