terça-feira, 9 de maio de 2000


ULISSES LINS DE ALBUQUERQUE

(Sertânia/PE, 09/05/1889 - Rio de Janeiro/RJ, 29/12/1979)


Poeta, escritor, historiador, advogado e político. Membro da Academia Pernambucana de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico de Pernambuco e do Instituto Arqueológico Nacional. Foi Deputado Federal na Constituinte de 1945. Com formação acadêmica simbolista e parnasiana, era considerado um poeta de grande sensibilidade. Apesar de sua origem sertaneja sua poesia é erudita, onde alcança a reflexão e a emoção da poética universal, mesmo trazendo a fala e o pensar do “homem nordestino”, difere-se dos demais poetas, considerados “matutos”.
Principais Obras: Pedúnculos (1910), Ao sol do sertão (1922), Mestres e discípulos (1927); Fogo e cinza (1933); Sol poente (1962); Quadras de outras quadras (1966); Serra alheia (1969); E a noite vem (1969).


A Seriema*

Andeja, airosa, arisca, ei-la, a seriema,
Em seus passeios diurnos pela estrada,
- Errante senhorita, enamorada
Das seduções do azul da Borborema.

Vendo-a, à lembrança ocorre-me um problema:
Talvez que uma princesa desterrada
Viesse aos bosques, assim transfigurada,
Curtir de atroz desgosto a angústia extrema...

Às vezes, por se ver tão solitária,
Estrangulando as próprias mágoas, canta.
E ei-la, garbosa, assim trauteando uma ária.

Mas, nesse canto é como que ela esteja
Traduzindo, aos soluços da garganta,
Os desalentos da alma sertaneja.

*Do livro "Fogo e Cinza" – 1933



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima