quinta-feira, 20 de janeiro de 2000


EUCLÍDES DA CUNHA

(Cantagalo/RJ, 20/01/1866 – Rio de Janeiro/RJ, 15/08/1909)


Escritor, poeta, sociólogo, jornalista, historiador, geógrafo e engenheiro. Membro da Academia Brasileira de Letras, eleito em 1903, tomando posse da Cadeira nº 20 em 1906. Pertencente ao Pré-Modernismo. O clássico “Os Sertões” tem como característica o regionalismo, destaca a realidade do nordeste brasileiro retratada com fidelidade, a qual descreve as condições precárias da vida da região e os motivos pelos quais ocorreu a guerra de Canudos. Foi assassinado em 1909 por questões familiares.
Principais obras: Os sertões (1902); Entre os seringais (1906); Contrastes e confrontos (1907).


Dodecassílabos

Estala na mudez universal das coisas
estrídulo tropel de cascos sobre pedras
e naquela assonância ilhada no silêncio
o cataclismo irrompe arrebatadamente.

O doer infernal das folhas urticantes
corta a região maninha das caatingas
fazendo vacilar a marcha dos exércitos
sob uma irradiação de golpes e de tiros.

Por fim tudo se esgota e a situação não muda,
lembrando um bracejar imenso, de tortura,
em longo apelo triste, que parece um choro.

Num prodigalizar inútil de bravura
desaparecem sob as formações calcáreas

as linhas essenciais do crime e da loucura.



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima