domingo, 15 de abril de 2018


I SARAU VIRTUAL



Participações
Júlia Lemos, Juareiz Correya, Luiz Manoel Siqueira,
Maria de Lourdes Hortas e Vernaide Wanderlei




JÚLIA LEMOS

“A Poesia para mim significa todas as palavras que, como artista, encontro, pois trabalho com suas renomeações. Dou outro nome às coisas, ao mesmo tempo em que trago a palavra como a coisa com que vou me reidentificando”. 


O OFÍCIO


Escrevo pelos que estando à frente da batalha
tiveram medo.

Carrego comigo a voz daqueles que se
viram impedidos.
Escrevo, afinal pelos distraídos,
os ausentes, os perdidos.

Acredito que um poema se faça necessário
naquela tarde em que as certezas se esvaem todas
e pelas rimas pode-se ver a história por outro prisma.

Ordinariamente escrevo com alegria,
minhas palavras não murcham como as flores
diante da tristeza.

Escrevo sobrepondo outra página
num desfecho que parecia irreversível.



JUAREIZ CORREYA

“A Poesia, de tudo e de todos - e não apenas os versos que escrevo -,
faz o meu coração ser melhor.  Acredito que a Poesia é a palavra 
mais humana da existência.” 


SÓ OS POETAS TÊM LÍNGUA

“Minha Pátria é a minha Língua”
(Fernando Pessoa)

Tua Pátria é a Língua Portuguesa,
Fernando Álvaro Alberto Ricardo Pessoa.
A minha é a Língua Brasileira
com tudo de português e índio e negro que nela há.
Só os poetas têm Língua,
tu sempre soubeste disto.
A maioria dos homens não sabe nem quer saber
o que é uma Língua
(nem o valor que a Pátria tem).
Os doutores têm as suas Ciências
- o que não é uma Língua.
Os analfabetos não têm credo nem nada
- o que não é uma Pátria.

Só os poetas têm Língua
e os homens que só escrevem
- mas não escrevem versos –,
escrevem em qualquer língua
mas não escrevem a sua pátria.

Outra língua identifica qualquer homem
mas não identifica um poeta:
só a sua própria Língua
revela o poeta e a sua Pátria inteira.

(Do livro inédito POEMAS DO NOVO SÉCULO)



LUIZ MANOEL SIQUEIRA

“Poesia é procura. Interpretação da vida. Escultura de signos. Linguagem cósmica. Poesia é uma provocação de jardim.”


ESCOLHA

Exatamente por ser feio
exatamente por ser sujo
exatamente por ser pobre,
esquecido, caramujo.

Exatamente por ser triste
completamente solitário
por ser sempre negativo
evasivo, imaginário.

Exatamente por ser claro
perfeitamente cristalino
diferente, do contrário,
perigosamente lindo.



MARIA DE LOURDES HORTAS

“Penso que a poesia é, antes de tudo, um dom, um talento,  uma forma de ver o mundo, algo que  já  nasce com o poeta. Estão aí os grandes poetas populares que atestam isso.  O poeta é, ou não é. Não se aprende a ser poeta. As oficinas podem lapidar aqueles que já tenha em si aquilo que Drummond chamou de "o sentimento do mundo". Mas não lhe darão o poder de registrar a essência e  a atemporalidade do ser.”


LITURGIA*

Eu vos agradeço, ó deuses, este luar
agridoce
ardência de vinho maduro tinto
sobressalto
rio solto
despencando sobre matas e abismos.
Eu vos agradeço, ó deuses
por me terdes deixado cair em tentações:
seja feita a vossa vontade
assim no céu
como no chão.


*In: Fonte de pássaros



VERNAIDE WANDERLEI

“Talvez fosse simples assenhorar-me de alguma teoria literária existente sobre poesia/poema. Não vou por aí! No máximo, poderia dizer junto com Alberto Cunha Melo, no prefácio de meu 1º. livro: “Poesia é algo borbulhando, é mão e músculo na massa quente da vida!” Mais precisamente, encaro a poesia como um belo e sagrado ofício! Como a forma de comunicar-me com o espaço dos homens - universal, país e aldeia. No plano mais íntimo, a poesia é a forma aproximada de entender as múltiplas e facetadas mulheres que me habitam e delineiam minha visão de mundo!”

Recife, 19/03/2018


RESPEITO À VOLTA*

Voltar,
quando o portão é rosto amigo
as avenças um tempo que cresceu
ou quando mangas já fizeram
visgo na rosa que ficou

Voltar,
sempre poder voltar,
por mais que essa distância
seja um sol de muitas léguas
ou alfinetes que brotaram

Voltar,
voltar e nunca mais ter medo
da velhice encostada nos birôs
ou que as saídas de vidro hoje
sejam grades quase foscas

Voltar,
presa apenas no mormaço
das copas em leque feitas
e desentulhar as prateleiras
com o brilho que se trouxe

*inédito, "Poesias Reunidas"
















7 comentários:

  1. Amei a presença de tantos poetas...especialmente a Julia Lemos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc pode acessar o site e comentar pelo google tb. grato

      Excluir
    2. Amo os domingos, e se for com Poesia? Alegre por estar neste Sarau desde as primeiras horas desta primeira manhã. Muito grata,cumprimento os editores, os poetas meus amigos, abraço nos meus queridos.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Um sarau de altíssimo nível, todos maravilhosos, e só posso parabenizá-los! Deixo uma saudação especial à minha querida prima Vernaide Wanderley, maravilhosa, como sempre, em meio aos também maravilhosos participantes. Aplausos com o desejo de sucesso para todos, incluindo o amigo Natanael

    ResponderExcluir
  4. Amei tudo que li. Como fazer para participar deste sarau?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. entre em contato conosco através do link do site "contato", abç

      Excluir

  • a literatura em sua rede

    7 anos

    desde 2011


Editores: Natanael Lima Jr, Frederico Spencer e José Luiz Mélo