domingo, 29 de março de 2015


ORÁCULO

por Fernando Farias*

Img: reprodução


Entro apressado no Templo de Apolo, na antiga Grécia, onde há cheiro de rosas e bostas de vacas. Não há sinais de ruínas.

Aproximo-me de um dos altares, Uma chama a arder. A virgem da vestal, uma menina romana vestida de branco, caminha silenciosa, colocando pedrinhas verdes para alimentar o fogo e incensar o ambiente.

Vou até a jovem e pergunto onde posso encontrar o Oráculo. Ela sorriso, muito mais com os olhos do que com os lábios, aponta suavemente que devo seguir por um longo corredor iluminado pelas pequenas tochas que clareiam o mármore branco.

Chego a uma grande sala vazia, cheia de janelões, onde está uma senhora vestida de escarlate, sentada, na posição de lótus, sobre almofadas e, de olhos fechados, com as contas de japa nas mãos, entoando mantras sagrados.

Estranho a mudança do ambiente grego para aquele clima indiano. Ajoelho-me aos seus pés e baixo a cabeça em reverência.

“Que pretendes saber?” pergunta ela abrindo os grandes olhos negros e dando-me um susto.  “Que desejas deste oráculo sagrado?”.

Com a voz tremula, faço as perguntas que me perseguem por toda a vida:

“Quem é Deus? De onde ele veio? Para onde ele vai? Qual o sentido de sua existência?”.

A mulher levanta uma das mãos com a palma virada para mim e diz:
“Aguarde! Iniciando busca!”.

Ela respira e fica em meditação profunda. Em volta passa um elefante decorado com papel dourado.

“A linha está ocupada. Vou tentar novamente!”.

Borboletas amarelas voam em bando pelo teto.

“Sua busca terminou sem sucesso!”.

Escuto tambores e ela para meu desconsolo diz:

“Deus não pode atender. Deus parece estar off-line. Tente outra vez mais tarde”.

Eu, cabisbaixo, volto para casa olhando um arco-íris, refletido nas poças d’água.

Minhas dúvidas permanecem sem saber se Deus gosta da forma que o criamos a nossa imagem e semelhança...
  

*Fernando Farias é escritor e contista pernambucano. Coordena atualmente o projeto “Um escritor na minha escola”, em Jaboatão dos Guararapes.



3 comentários:

  1. Arretado. Gostei bastante da narrativa, acredito que "deus" tá cansado da humanidade estúpida que "criou" (Kkkk). Precisamos ficar menos disponíveis. Muito envolvente, Fernando. Minha admiração não é nenhuma novidade.

    ResponderExcluir
  2. Arretado. Gostei bastante da narrativa, acredito que "deus" tá cansado da humanidade estúpida que "criou" (Kkkk). Precisamos ficar menos disponíveis. Muito envolvente, Fernando. Minha admiração não é nenhuma novidade.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima