domingo, 13 de julho de 2014


O Conto da Semana

A mulher real, a mulher virtual (conto) Moacyr Scliar
  

Moacyr Scliar/Foto: Divulgação

“Caro Lion: não, por favor, não delete este e-mail. Não o delete, Lion. Leia-o até o fim, é a única coisa que lhe peço. Leia-o, e depois decida o que fazer. Mas leia-o. Não o delete.

Eu sei que você está furioso comigo, Lion. No seu lugar eu também estaria furiosa. Recapitulando: você inicia um relacionamento pela Internet, que, segundo a prestigiosa revista New Scientist, é, após os 45 anos de idade, a forma ideal para encontrar um parceiro ou parceira. Você de fato encontra uma parceira. Você troca tórridos e-mails com ela. Você está feliz, feliz como nunca esteve em sua vida. Você abençoa esta tecnologia que lhe permite viver um verdadeiro romance virtual. E você não faz a mínima questão de conhecer esta parceira. Você prefere os delírios da imaginação amorosa à realidade, que, como você mesmo disse em uma mensagem, frequentemente revela-se decepcionante. Não foram poucas as frustrações que você teve com mulheres agressivas, autoritárias, arrogantes. Muito diferentes daquela com a qual você trocava e-mails.

E de repente essa mulher sai da cidade dela e vem procurar você. É uma terrível decepção. Trata-se de uma pessoa complementa diferente daquela criada por sua imaginação. Uma mulher, como aquelas que você odeia, agressiva, arrogante, autoritária. De imediato você dá o caso por encerrado. E aí, num ato desesperado, ela, armada com uma pistola, tenta sequestrar você. Você – coisa que poucos meses antes lhe parecia inimaginável – é obrigado a fazer queixa à polícia.

É por isso que lhe escrevo, Lion. Escrevo porque estou surpresa e horrorizada com o que aconteceu, com o que eu fiz. Mandando e-mails eu era uma, Lion; procurando você eu me tornei outra. Uma história do tipo O médico e o monstro. Não o procurarei mais, Lion, mas preciso que você me ajude a responder à pergunta que me tortura: quem sou eu, Lion? Sou a gentil e apaixonada autora dos e-mails ou sou a violenta mulher de revólver na mão? A mulher virtual é a mulher real, ou a mulher real na verdade é virtual?  Precisamos conversar sobre isso, Lion. Caso contrário voltarei aí, Lion. Voltarei, Lion. Voltarei armada e disposta a tudo. E olhe que, assim como escrevo belos e-mails, assim como sei mirar o coração dos meus correspondentes, sei mirar muito bem os alvos com minha arma.

(In Histórias que os jornais não contam, 2009, p. 53)

*Moacyr Scliar nasceu em Porto Alegre em 23 de março de 1937 e faleceu em 27 de fevereiro de 2011. Scliar foi um importante escritor brasileiro. Formado em medicina, trabalhou como médico especialista em saúde pública e professor universitário. Sua importante obra consiste de contos, romances, ensaios e literatura infanto-juvenil. Também ficou conhecido por suas crônicas nos principais jornais do país. Foi o sétimo ocupante da cadeira 31 da Academia Brasileira de Letras. 



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima