domingo, 12 de janeiro de 2014


Eventos / Livros

Coleção Itaú Cultural de Arte e Tecnologia em Recife




A mostra itinerante da Coleção Itaú Cultural de Arte e Tecnologia permanece no Museu do Estado de Pernambuco só até o dia 19 de janeiro. Com obras de pixels, bits e projeções a exposição traz um recorte de projetos artísticos criados em plataformas digitais. Saiba mais: http://bit.ly/1dQBI59



Janeiro da Cultura Nordestina




A Cultura Nordestina Letras & Artes promove durante todo o mês de janeiro atividades de iniciação musical, expressão poética, contação de histórias, oficinas de artes, projeto brochura, das 15h às 17h, dos 05 aos 12 anos. Maiores informações: (81) 3243-3927



De corpo presente novo livro de Alberto Lins Caldas




“Alberto Lins Caldas escreve a ranhura do poema, por onde risca a dura pedra, o esmeril, a fonte de toda força vital. O sangue percorre a pedra por onde o sulco se abre e atinge o ouvido, a sanha, a fome insaciada.
Alberto tem na pena uma haste que se lança à frente, para pinçar o fruto, trazer o medo para mais perto, aproximá-lo do olhar, desmistificá-lo, desmontá-lo e mostrá-lo simples, nu e cru, tal como ele é, sem outro viés senão ele mesmo.
A morte, a outra face da vida, é o mote que Alberto desnuda, ao perceber que o andar dos homens cruza infinitas vezes o caminho de outros homens, como estradas por toda a terra.
Os poemas de Alberto atravessam a garganta ao serem ditos, rascantes e puros, porque dizer o poema é o que resta da circunavegação dos sentidos, o que escapa da mente e sua compreensão, o que goteja do corpo pelas pontas dos dedos.
O poeta pontua pela vida como se buscasse a luz ante o paraíso e, distraído, desfizesse o ranço das feridas, na carne viva de seu senso, na altivez da humildade, na fecundidade de seus versos na alma de quem o lê.”

Thereza Christina Rocque da Motta,
poeta e editora

Serviço

Título: De corpo presente
Editora: Ibis Libris (RJ)
Gênero: Poesia
Ano: 2013
Informações e pedidos: albertolinscaldas@yahoo.com.br



Leleco, a lagartixa que perdeu a cauda: um breve comentário

por Frederico Spencer*




O lúdico é imprescindível para a formação do indivíduo. Na infância exerce papel preponderante no processo de individualização do ser. É através do contato com o mundo subjetivo que a criança constrói sua capacidade de criação de seu mundo interior mediado pela capacidade de sonhar, onde se abstrai da realidade circundante, através das fantasias, para formar seu mundo concreto, erguido através de suas experiências com o objeto real.
Os jogos e as fábulas são veículos poderosos para ajudar neste processo de formação de individualização, porque formam uma cadeia de conhecimentos simbólicos que servirão como bases para a construção da personalidade. Carregados de conteúdos que diferem daqueles oriundos da realidade cotidiana, onde a definição dos objetos é estática, fruto da linguagem coloquial, impõe um novo posicionamento do ator frente ao objeto físico, real.
Assim acontece no livro Leleco, a lagartixa que perdeu a cauda, onde a autora, a partir de um fato prosaico, que é a perda de um pedaço da cauda do personagem central do livro, passa a discuti uma série de problemas que hoje permeiam a nossa sociedade, como por exemplo: o bullyng, tão recorrente em nossas escolas, as diferenças de gênero, os preconceitos e os problemas ecológicos. Além de valores como: ética, laços de amizade e respeito mútuo.

*Frederico Spencer é poeta, sociólogo e psicopedagogo clínico


Serviço

Título: Leleco, a lagartixa que perdeu a cauda
Autora: Abigail Souza
Gênero: Infantil
Editora: Pingo de Ouro
Ano: 2012

Informações e pedidos: abssouzash@gmail.com abssouzash@gmail.com



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima