domingo, 28 de julho de 2013


02 anos por acreditar na força da poesia!




Frederico Spencer e Natanael Lima 
Não vamos nos alongar além da conta, mas este momento é muito especial para todos nós que idealizamos este projeto.
Nos propusemos a criar um espaço plural, democrático, aberto ao debate e a divulgação da literatura pernambucana e brasileira, sem fronteiras.
Hoje completamos nosso segundo aniversário, comemorando também a marca de mais de 50 mil acessos.
Nesses dois anos alcançamos grandes vitórias como, por exemplo, a conquista do segundo lugar do Prêmio “Top Blog Brasil 2012”, o maior prêmio da internet brasileira, onde concorremos com mais de 18 mil blogs de todo país, na categoria Literatura, através de Júri Acadêmico.
Outra importante marca foi a consolidação da nossa equipe de colaboradores que reúne nomes de destaque da literatura pernambucana, como a escritora e antropóloga Fátima Quintas, o poeta Marcus Accioly, a escritora e editora Salete Rêgo Barros e o jornalista e poeta Marco Polo Guimarães.
Agradecemos o apoio das empresas que acreditaram e investiram neste projeto como, a Rede de Supermercados Arco-Íris, MV – Líder em sistemas de gestão de saúde” e o Hotel Barramares.
Por fim, queremos repartir simbolicamente a primeira fatia do bolo de aniversário do 2º ano do Domingo com Poesia com os nossos colaboradores, parceiros, blogueiros, poetas e internautas espalhados pelo estado, cidades e capitais brasileiras, e agora em alguns países da América do Sul, Europa e África.
Todas estas conquistas é resultado da persistência, coragem e determinação de poucos que ainda acreditam e sonham com uma sociedade mais justa, fraterna e solidária.

Os editores





Melhores Momentos







Depoimentos


“Parabenizo o Portal "Domingo com Poesia" pela sua versatilidade na produção estética e na excelente seleção do material oferecido. As duas vertentes, estética e conteúdo, possibilitam uma verdadeira viagem ao mundo da poesia. A abordagem dos temas conduz a importantes interações, que vão se multiplicando à medida que a viagem visual acontece. A comunicação é estimulante, provocativa e sedutora. Percorrer, portanto, os meandros do Portal  é uma maneira de deparar-se com a beleza em nuances variadas. A leitura virtual demanda níveis de sensibilidade, o que se percebe na construção, passo a passo, de uma liturgia poemática celebrada com delicadeza. Assim a "poiesis" casa-se com um modelo bem trabalhado, pleno de minúcias e de aportes decorativos. É sempre um prazer acordar ao domingo e despertar com versos, textos, imagens, informes que se harmonizam em um palco bem iluminado. Um caleidoscópio de palavras e metáforas.”

Fátima Quintas - escritora, ensaísta, professora universitária, presidente da Academia Pernambucana de Letras



"Nem só(l) de pão vive o homem" como viver sem os versos? Eu faço dos meus domingos, sol de versos!

Elias Gomes – Prefeito do Jaboatão dos Guararapes



“O Domingo com Poesia é um espaço de resistência literária e pela resistência para mantê-lo já há dois anos com a qualidade que ele tem. Comecei a acompanhá-lo há pouco, mas tenho me deliciado com o bom gosto estético de suas postagens. Parabéns!”

Gerusa Leal é escritora - editora do Blog Flor de Gelo



Domingo sem Poesia tem vida?
“Já faz tempo que o Portal Domingo com Poesia me acompanha nos finais de semana. Posso ler entrevistas, saber de lançamentos, ler artigos sobre a obra de vários escritores, além de aproveitar os poemas que são publicados. Não é fácil assumir um compromisso de grande envergadura como a valorização da literatura pernambucana e isso, o Domingo com Poesia faz muito bem.”

Adriano Marcena - escritor, dramaturgo e historiador.



“Uma das coisas mais saudáveis do Domingo com Poesia é seu caráter democrático, colocando lado a lado a poesia erudita e a poesia popular. Parabéns!”

Marco Polo Guimarães - poeta, jornalista, músico e superintendente de produção editorial da Companhia Editora de Pernambuco – Cepe



O Domingo com Poesia, publicado pelo poeta pernambucano Natanael Lima Jr., tinha de ser mesmo um espaço aberto e democrático para a divulgação da poesia na Internet. Com sensibilidade acesa e sempre atento para a vida literária e cultural de Pernambuco e do Nordeste brasileiro, o poeta Natanael Lima Jr oferece, semanalmente, todos os domingos, uma seleção de textos inéditos e publicados de autores novos, emergentes, de outros com alguma projeção estadual e regional, e promove com o devido destaque (ou reverência) a criação literária de grandes nomes da poesia pernambucana e brasileira de todos os tempos. É assim que bem se faz a divulgação da palavra mais humana da existência, com carinho e respeito à palavra poética, em particular, com uma dedicação que só os poetas verdadeiros têm”.

Juareiz Correya - poeta, contista, editor da “Panamérica Nordestal Editora e Produções Culturais” e publica na internet os blogs “Jornal do Juareiz (JC)”, “Letras & Leituras”, “Poesia Viva da Cidade”, “Americanto Amar América” e “Casa da Poesia”



“Domingo com Poesia me atrai a partir do nome. Não o posso imaginar, não sei por que, sem o acompanhamento de café com pão quentinho e manteiga matinal do dia para o descanso do corpo e agora para o mais belo trabalho da alma. Domingo é dia de praia. Domingo é dia de poesia. Por extensão, domingo é dia de Natanael. Domingo é nosso dia. Parabéns a este padeiro do verbo, que há dois anos nos traz o verdadeiro pão da vida – a poesia. Domingo com Poesia tem como símbolo uma taça de vinho do Porto, a melhor bebida para acompanhante do alimento mais fino de todo o conhecimento, a poesia. Dizer mais seria tornar a poesia balofa e pôr água ao vinho do Porto.”

Antonio de Campos - poeta e crítico literário



“O poeta Natanael Lima Jr é um Ulisses na odisseia da poesia atual, principalmente a pernambucana. O seu Domingo com Poesia recebeu o 2º lugar no campo da literatura (o que achei injusto, pois merecia o 1º). A que se deve isto? Aos conhecimentos e paixões pelos poetas de sua terra e aos outros incorporados; a sua constância na publicação; a beleza e erudição na construção de suas páginas e a falta de preconceito ao selecionar os já canonizados, como os que ainda estão nas vielas do pecado da poesia em desenvolvimento. Só me enche de orgulho fazer parte deste grupo.”

Cícero Melo - poeta



“Com todo respeito aos bons blogs literários que conhecemos em Pernambuco, o blog Domingo com Poesia é o mais democrático.”

José Terra - poeta pernambucano de Palmares



“Sabemos o que é manter um blog neste mundo virtual. Comemorar 02 anos de um blog que tanto vem contribuindo para a nossa cidade e cultura é acima de tudo um bom desafio.”

Roberto Santos - advogado e editor do blog político Roberto Santos



“O blog Domingo com Poesia é o encontro das palavras com a tecnologia digital e a grande rede. Traz em novas mídias a essência da poesia pernambucana e brasileira que encanta e arrebata os nossos corações. Parabéns!”

Marco Aurélio Vitale – Nuvem de Livros



“Excelente blog, um orgulho pra quem gosta de poesia, pelo conteúdo e bom gosto gráfico.”

Roberto Menezes - jornalista



Fico imensamente feliz pelo sucesso do blog Domingo com Poesia. Só tenho que parabenizar você e Fred por tanto desprendimento. Somente seres humanos com sensibilidade aflorada é capaz de traduzir sentimentos em palavras.”

Ana Rosa  - coordenadora da biblioteca do Sesc Piedade



Quando me vejo diante do Domingo com Poesia, espaço em que as palavras se tornam a essência maior descubro que o no meu intimo, também se encontram "palavras" capazes de me proporcionar uma ciranda cadenciada a passos lentos, porém ritmados pelo comando do meu jeito próprio de ser. Assim, parabéns ao Portal pelos 02 anos de pura manifestação da alma através da literatura e pelos acessos diários de todos que encontram aqui um novo jeito de saciar suas angústias e se alegrarem com um uma maneira atual de difusão da poesia.”

Nildo Barbosa - professor universitário e gerente de equipamentos culturais da Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes



“Meu caro Natanael, com alegria de tê-lo como amigo, sinto enorme prazer em poder manifestar a satisfação em parabenizá-lo pelo sucesso do blog Domingo com Poesia. Revelando que na sua leitura semanal, faz-se um hiato no cotidiano e de repente, me oferece a oportunidade de sentir a vida melhor. Parabéns!”

Ivaldo Montarroios – Presidente do Instituto Histórico de Jaboatão



“O Domingo com Poesia é uma luz acesa no domingo, mas que ilumina a semana inteira.”

Paulo Rocha - escritor e editor do Jornal Gazeta Nossa



Fred e Natanael,
Alegria grande revê-los, e mesmo que brevemente conversarmos um pouco.
Acompanho o Domingo com Poesia, e é sempre um prazer colaborar com os amigos. Contem comigo.

Mário Hélio - poeta, jornalista e coordenador literário da Fliporto



"É com grande alegria que felicito a todos que fazem o Domingo com Poesia pelos seus 2 anos e 50.000 acessos! É um resultado merecido que enaltece o amor e a dedicação de pessoas que amam a literatura!"

Abigail Souza - escritora



“Do DOMINGO COM POESIA tenho muito o que falar, mas muito mais o que sentir. Das pessoas que compõem esse projeto bem sucedido e firme no propósito da congregação de amantes da poesia, a empatia foi imediata, numa família que só tende a aumentar, de mãos dadas e pensamento focado no espírito-irmão de quem respeita a entidade poética para mudar o mundo, uma utopia perseguida por artistas, e de um modo muito particular pelos poetas - alquimistas das palavras e tradutores dos sentimentos. Sou felizarda por fazer parte dessa festa, a celebração pela união e divisão do pão, uma comunhão que multiplica o alimento e nos revigora. Parabéns pelas conquistas e obrigada pelo acolhimento sincero e poético do Domingo com Poesia!”


Márcia Maracajá - Escritora Blogueira, Performer Literária e Consultora Textual







Os Dez Mais

Nesta edição selecionamos os dez poemas mais visualizados e comentados pelos nossos internautas.



Lêdo Ivo
(1924 – 2012)
_________________________________________________

Cemitério dos navios


Aqui os navios se escondem para morrer.

Nos porões vazios, só ficaram os ratos
à espera da impossível ressurreição.

E do esplendor do mundo sequer restou
o zarcão nos beiços do tempo.

O vento raspa as letras
dos nomes que os meninos soletravam.

A noite canina lambe
as cordoalhas esfarinhadas

sob o voo das gaivotas estridentes
que, no cio, se ajuntam no fundo da baía.

Clareando madeiras podres e águas estagnadas,
o dia, com o seu olho cego, devora o gancho

que marca no casco as cicatrizes
do portaló que era um degrau do universo.

E a tarde prenhe de estrelas
inclina-se sobre a cabine onde, antigamente,

um casal aturdido pelo amor mais carnal
erguia no silêncio negras paliçadas.

Ó navios perdidos, velhos surdos
que, dormitando, escutam os seus próprios apitos

varando a neblina, no porto onde os barcos
eram como um rebanho atravessando a treva!



Alberto da Cunha Melo
(1942 – 2007)
_________________________________________________

Morte sob contrato


Sua morte, sob encomenda,
ajustada a si como roupa,
não prêt-à-porter, contra entrega,
mas bala a bala, gota a gota,

era, no entanto, igual à vida
que antes viveu, sob a medida

da ordem, da métrica demência,
a que distribui a matança
de acordo com a procedência

e o cadastro da freguesia
da morte, a crescer todo dia.



Cyl Gallindo
(1935 – 2013)
_________________________________________________

Conservação do Grito-Gesto


Poema VII


Serei o último poeta a me sentar à mesa
o verso só vem a mim depois de cristalizado.

Meus versos são gente pobre
e convivem com a fome
nos brinquedos da infância.

São os meus versos surrados
em plenas ruas do mundo
e confidenciam o seu corpo
à intimidade do relento.

Mas que os abutres não se iludam,
pois não joguei sobre a mesa
todos os naipes do Grito-Gesto:

o segredo é necessário para o jogo e para a luta.

Dei apenas o meu canto feito de estrela e de
sangue:

no amor nunca tem noites
nem esquinas de escuridão!

Em cada carta há duas faces
que os homens tentam beijar
mas enquanto o trunfo estiver retido
a canção será menor...

Vamos traçar novamente a esperança e a vontade


Samuca Santos
(1960 – 2013)
_________________________________________________

Poema frito na língua

da janela
maré enchendo
no mangue do quintal

saúnas festejam não-sei-o-que
aratus sobem nas cercas
os barcos, sábios
não dizem nada, balançam

e a manhã tem dois caminhos:
a espiral dos erros
as esquinas do caos
e um terceiro, inominável
e surdo, hermeticamente calado

não suporto esses dias
que começam com poemas assim


Jaci Bezerra
_________________________________________________

Linha d’água


Em Alagoas me achei, achando o mar,
desde então o conservo em mim, aberto,

porém nunca aprendi a soletrar
a insone cadência dos seus metros.

Talvez porque o mar, nervoso e inquieto,
no pacífico silêncio onde Deus viça,

não escreve nem repete o mesmo verso
no seu caderno de águas movediças.

Achando o mar me fiz cúmplice da beleza,
mas ao me consumir em suas chamas

soube que a alma é uma onda de incertezas
presa na cela da nossa areia humana.

Aprendi com o mar a ser constante
e a aceitar, sem pudor, as coisas frágeis:

a fazer da inconstância dos instantes
lembranças o mais possível perduráveis.

Entregue ao mar, pago ao mar meu tributo,
e ao escutá-lo na minha humana cela,

sinto que o mar, fremindo longe e oculto,
me conta coisas que a ninguém revela.



Marcus Accioly
_________________________________________________

Clarice Lispector


Ó Clarice, Clarice, ó claridade
vermelha – de maçã no escuro – fogo
na brasa do cigarro, o incêndio e, logo,
a beleza que inflama o corpo que arde.

Chama que atrai a chama e chama a carne
nua e não crua – o todo, a parte, o todo
da mão queimada – a parte, o todo, a parte
da luz que acende a luz com a luz do rosto.

O acidente do sol, o crepitar
do cabelo em fumaça, o despertar
dos olhos sob o ardor e a dor perene.

Os pensamentos queimam suas asas,
queimam-se folhas, queimam-se palavras,
e renasce das cinzas feito a Fênix.



Marco Polo Guimarães
_________________________________________________

Blue

A Cida Pedrosa



Com Eric Clapton, um branco,
aprendi um pouco de blue;
o toque mínimo da guitarra,
a busca de perfeição.
Aprendi que música não tem pressa
e o tempo
é uma coisa a ser tecida.

Com Robert Johnson, um preto,
aprendi um pouco de blue;
que música é outra maneira de dizer silêncio.
Aprendi que só valem a pena as palavras
que mudem a cor do dia.



Cícero Melo
_________________________________________________

Ponta Verde


Thalassa e mãe, colar de azul e sódio
E cromo das marés em vagas claras.
Diversos sobre os verdes, febre, fólio
E tempo derramado e luz afásica.

Potrancas, nus, de deusas e cavalas;
Declives sublimados, fumo e bócio,
Lábios, leitos e lúcias laceradas
Sob a madeira do mar, imposto e ócio.

Isto é do mar que morto é manteúdo
Dos afagos do corpo não crismado,
Dos brinquedos do sexo e, sobretudo,

Isto é do mar que rosna – um cão danado,
Inubo, pubo, rubo, ludo, tudo
Nas vozes de outro mar recuperado.



Lucila Nogueira
_________________________________________________

Quero esse mundo de volta

A Pedro Lyra

quero esse mundo de volta
não me conformo que ele se tenha perdido

o relógio funcionando
recuperado de seu mecanismo

tenha ficado calado
distante como numa ilha

a saudade é o sortilégio
de uma carta devolvida

quero esse mundo de volta
não me conformo que ele se tenha perdido



Antonio de Campos
_________________________________________________

Canção do marasmo nacional


Tudo está na santa paz!
Nos céus do país, o Halley,
em terra os "artistas" entreguístas
e os malandros do ano sem lei.

Tudo está na santa paz!
Bolívar em Tacaruna sem salves
e os conformados conformistas,
na palma, o sabiá do Gonçalves.

Tudo está na santa paz!
As horas dadas na Malakoff,
nas docas, quem ouviu jamais
o Big Ben, mas esse roscofe.
Tudo está na santa paz!
Nas clínicas, os lunáticos
que cantam a lua dos loucos,
afastando o mal dos práticos.

Tudo está na santa paz!
Os de centro, trás e frente,
só não, em qualquer posição,
meu coração consciente.






3 comentários:

  1. Parabenizo aos Editores do Domingo com poesia pelo sucesso nesses dois anos e agradeço a riqueza que nos é dada através deste espaço literário.

    beijos a todos
    Joelma

    ResponderExcluir
  2. Querida Joelma, muito obrigado por seu estímulo. Em seu nome queremos abraçar os nossos milhares de internautas espalhados pelo país e de outros países.

    Abç.

    Natanael Lima Jr

    ResponderExcluir
  3. Chegar aos dois anos de postagem é um marco que só conseguimos por ter o apoio de nossos leitores e você sempre presente no nosso cotidiano. Obrigado por tudo.
    Frederico Spencer
    Editor de Texto

    ResponderExcluir

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima