sexta-feira, 8 de setembro de 2000


NATIVIDADE SALDANHA

(Jaboatão/PE, 08/09/1796 – Bogotá/Colômbia, 30/03/1830)


Poeta, advogado, músico e ativista político. Formou-se em Direito na Universidade de Coimbra. Retornando ao Recife abriu um escritório de advocacia, passou a sofrer perseguição do governo brasileiro, foi expulso do país e refugiou-se na Inglaterra e depois na Venezuela. Sobre a sua morte há várias versões, entre elas: que morreu em Cali (Colômbia) fuzilado; que morreu afogado em uma vala em Bogotá; que desapareceu após uma sessão de júri onde estaria sendo julgado e que morreu em Caracas (Venezuela). Foi professor de humanidades em Bogotá. Escrevia textos poéticos sobre feitos e figuras da época, contando as glórias de Pernambuco. Patrono da Cadeira nº 5 da Academia Pernambucana de Letras.
Principais Obras: Poemas oferecidos aos amigos e amantes do Brasil (1822); Discurso sobre a tolerância (1826); Poesias (1875).


Aos filhos da Pátria

Filhos da Pátria, jovens brasileiros
Que as bandeiras seguis do márcio nume
Lembrem-vos Guararapes, e esse cume,
Onde brilharam Dias e Negreiros!
Lembrem-vos esses golpes tão certeiros,
Que às mais cultas Nações deram ciúme,
Seu exemplo segui, segui seu lume,
Filhos da Pátria, jovens brasileiros.

Esses, que alvejam campos, níveos ossos,
Dando a vida por vós constante e forte,
Inda se prezam de chamar-se nossos.

Ao fiel cidadão prospera a sorte
Sejam iguais aos seus os feitos vossos
Imitais vossos pais até na morte.



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima