sexta-feira, 7 de janeiro de 2000


BELMIRO BRAGA

(Vargem Grande/MG, 07/01/1872 – Juíz de Fora/MG, 31/03/1937)

 
Poeta. Pertenceu a Academia Mineira de Letras. Em sua homenagem, sua cidade de nascimento recebeu o seu nome após ser elevada à categoria de município passando a ser chamada de Belmiro Braga.
Principais obras: Montesinas (1902); Cantos e contos (1906); Rosas (1911); Contas do meu rosário (1918); Tarde florida (1923); Redondilhas (1934); Dias idos e vividos (1936).
  

Retrospecto

Cincoenta annos já fiz, e não fiz nada
neste meus longos cincoenta annos, feitos
de pesares, de angustias, de despeitos,
a boca sorridente e a alma enlutada.

A estrada do Dever foi minha estrada,
da Virtude segui os sãos preceitos,
e nem honras, nem glorias, nem proveitos
encontro ao fim da aspérrima jornada...

Vivi sonhando com manhãs radiosas,
com bosques verdes, passaros e ninhos,
e deu-me a vida noites tormentosas,

e deu-me campos mortos e maninhos...
Cincoenta annos vivi semeando rosas,
cincoenta annos vivi colhendo espinhos...



0 comentários:

Postar um comentário

  • a literatura em sua rede

    ano IV


Editores: Frederico Spencer, Natanael Lima Jr e Thiago Lima